CBV/Divulgação
CBV/Divulgação

Na Polônia para Liga das Nações, seleção de vôlei faz 1º treino com Leal

Cubano, que se naturalizou, se disse "estou muito feliz" após trabalhar com o grupo do Brasil

Redação, Estadão Conteúdo

28 de maio de 2019 | 23h02

A seleção brasileira masculina de vôlei está reforçada na Polônia, em Katowice, onde vai fazer a sua estreia na Liga das Nações na sexta-feira. Nesta terça, o ponteiro cubano Leal, que se naturalizou, se juntou ao grupo comandado por Renan Dal Zotto e fez o seu primeiro treino ao lado dos seus companheiros.

"Me senti muito bem no treino de hoje e estou muito feliz. Não vou mentir. Enquanto esperava todo o grupo no aeroporto, fiquei bastante nervoso, mas depois que encontrei com todos, estive com a galera, foi muito bom", brincou Leal.

Jogador do Lube Civitanova, da Itália, Leal teve uma semana de férias e aguardou pela seleção brasileira em Katowice, nesta terça-feira. Foram quatro anos de espera para concluir a naturalização esportiva para enfim poder auar pelo Brasil.

"Meu sonho era poder jogar na seleção e isso está cumprido. Estar aqui significa muita responsabilidade, pois jogar em uma seleção como a do Brasil, é saber que temos que lutar por todos os títulos. A minha parte já está sendo realizada, mas, meu maior sonho, sem dúvida, é ser campeão olímpico", disse Leal.

O Brasil entrará em ação pela primeira vez na Liga das Nações na sexta-feira, a partir das 12h30 (horário de Brasília), contra os Estados Unidos. Nos dias seguintes, terá pela frente a Austrália e a anfitriã Polônia.

Em Katowice, além de Leal, Renan também conta com os levantadores Fernando Cachopa e Thiaguinho; os opostos Wallace e Alan; os centrais Lucão, Maurício Souza, Isac e Flávio; os ponteiros Lucarelli, Douglas e Lucas Lóh, e os líberos Thales e Maique.

O levantador Bruninho ganhou folga após a temporada de clubes e estará com a seleção a partir da terceira semana da Liga das Nações, em Portugal. Enquanto isso, Lucão será o capitão da equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.