Natália comemora retorno ao Brasil no Grand Prix

O retorno de Natália à seleção brasileira feminina de vôlei foi a principal atração da vitória por 3 sets a 0 sobre o Casaquistão (25/14, 25/18 e 25/20), neste sábado, na cidade de Almaty, pelo Grupo F do Grand Prix. A ponteira não participava de um jogo completo desde a final da Superliga Feminina de Vôlei e ficou dez semanas afastada após uma cirurgia na canela esquerda. A jogadora revelou ter ficado surpresa com a decisão do técnico José Roberto Guimarães de escalá-la.

AE, Agência Estado

13 de agosto de 2011 | 10h53

"Eu não esperava jogar. Quando o Zé falou que eu estaria entre as doze e ainda seria a titular, quase não acreditei. Foram mais de dois meses de preparação para retornar. Não atuava em um jogo inteiro desde a final da Superliga. Tenho consciência que ainda tenho muito a evoluir. Preciso de mais ritmo de jogo, mas é bom estar de volta", disse.

Natália fez seis pontos na partida contra o Casaquistão e acredita ter retornado bem ao time. "Comecei um pouco insegura no passe, mas aos poucos fui me soltando. A Dani também me deu uns presentes durante a partida. As meninas me ajudaram e o Brasil teve uma boa atuação, principalmente no saque", afirmou.

Zé Roberto também aprovou a atuação de Natália neste sábado. "Estava preocupado como ela ia se sentir. Ela ainda sente um pouco de dor muscular. Nós queremos colocá-la para jogar gradativamente. A Natália já está treinando normal. Ela jogou bem. Ainda falta um pouco de ritmo de jogo, mas ela precisa jogar. Esse jogo foi ótimo para a Natália se soltar. Ela precisa sentir o clima na quadra junto com o time base", explicou.

Para o técnico, o saque foi decisivo para a tranquila vitória brasileira. "Conseguimos sacar bem e neutralizar as jogadas de velocidade do Casaquistão. Quando o nosso saque funciona, facilita a vida do nosso bloqueio. No entanto, ainda precisamos ser mais efetivos nos contra-ataques", disse.

O treinador também destacou a evolução e o bom desempenho da levantadora Dani Lins. "A Dani foi bem. Ela teve bons momentos e está aprendendo o que ela pode fazer com esse time. A equipe tem muitas opções. Ela está se esforçando para aprender a usar todas as opções do grupo", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.