Fábio Motta/ Estadão
Fábio Motta/ Estadão

No vôlei de praia masculino, Brasil tem uma nova dupla para Tóquio-2020

Campeão olímpico Bruno Schmidt forma parceria com campeão mundial Evandro de olho na Olimpíada

Andreza Galdeano, O Estado de S.Paulo

03 de março de 2019 | 04h30

Se o encerramento da dupla formada pelos campeões olímpicos Alison e Bruno Schmidt em maio causou frisson no vôlei de praia, o início de novas parcerias deu um alento à modalidade. Alison e Bruno se juntaram a outros dois campeões mundiais e fizeram não uma, mas duas duplas promissoras para os Jogos de Tóquio. Alison está com André e Bruno faz dupla com Evandro. Ambas surgem como favoritas nesta corrida.

Uma dupla que surgiu exclusivamente de decisão técnica confirma as boas expectativas para o Brasil em 2020. Bruno e Evandro estrearam a parceria no pódio. Eles conquistaram o título na etapa do circuito nacional em Fortaleza, dia 23. “A primeira competição é sempre difícil. Mas também sempre muito boa. Acredito que estamos na batida certa e precisamos continuar trabalhando”, comentou Bruno Schmidt ao Estado

Para o parceiro, a primeira participação da dupla é sinônimo de confiança. “Antes de confiar na dupla, a gente confia em si mesmo. Agora que ganhamos o primeiro torneio, a confiança aumenta. Sabemos do que somos capazes e que podemos fazer a diferença”, diz Evandro.

Uma formação recente poderia ser sinônimo de preocupação. Mas Bruno e Evandro avaliam que, apesar do tempo de que vão precisar para melhorar o entrosamento, estão no caminho certo. “É como um relacionamento, início de um namoro, qualquer evento que você faz é bacana, nada te chateia. Agora, sabemos que precisamos de mais tempo juntos. O circuito nacional é o momento onde ficamos tranquilos”, afirma Bruno.

“Há coisas que precisamos ajustar. Há coisas boas, que não esperávamos e aconteceram. Vamos trabalhar, ajustar as armas, virtudes, e cada vez mais nos conhecer. O nosso melhor treino é a competição. É desta forma que encaixamos e mostramos como vai ser a cara da dupla. Estamos atentos a isso.”

Evandro garante que o entrosamento entre os dois não é apenas em quadra. “Preciso saber o que fazer quando o Bruno acordar irritado. Descobrir as coisas que ele gosta. Isso é bem bacana e um diferencial para conseguir formar uma dupla e ter sucesso com ela. Vou atrás de tudo e espero fazer do meu parceiro um multicampeão”, completa.

O primeiro torneio que contará pontos para a classificação aos Jogos de Tóquio será a etapa do circuito mundial no Catar, a partir do dia 12. Entre as duplas do País, apenas as duas melhores poderão jogar.

Três perguntas para Bruno Schmidt:

Qual a importância de jogar ao lado do Evandro?

É muito importante jogar com o Evandro, não só pelo atleta que ele vem se transformando, mas por quem ele já é. O nosso jogo realmente encaixa. Obviamente eu necessito de um jogador que faça bloqueio e que realmente possa competir com igualdade com todo mundo lá fora. Ao lado do Evandro eu posso suprir todas as necessidades em quadra e são as nossas qualidades que nos fortalecem.

Quanto tempo acreditam que vão levar para ter um entrosamento ideal?

Eu não sei. Mas apenas em uma primeira competição já apareceram muitas coisas que precisamos ajustar. Coisas boas também, que a gente não esperava e aconteceu. Agora vamos trabalhar, ajustar as armas e as nossas virtudes. Cada vez mais nos conhecermos melhor dentro de quadra. Acho que precisamos de um pouquinho de tempo e estamos lidando bem com isso. Acredito que o melhor treino é a competição. É você jogar com cada adversário tentando se superar o tempo todo e usando seu time para isso. É dessa maneira que vamos realmente encaixando e mostrando como vai ser a cara da dupla.

Qual o planejamento para conseguir uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio?

O nosso planejamento é tentar nos entrosarmos o mais rápido possível. Nós temos pouco tempo, então vamos tentar ao máximo ajustar. Temos aquela situação agora de querer ajudar o parceiro mais do que a si mesmo. Aproveitar que a dupla está fresca e nada está tão pesado. Aproveitar que isso dá mais energia e nosso principal planejamento é estar bem nas competições. Quem estiver melhor estruturado para cada evento vai estar chegando mais próximo dos seus objetivos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.