Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Nova geração da seleção brasileira de vôlei derrota Polônia

Na estreia na Liga Mundial, garotos do técnico Bernardinho mostram raça e ganham por 3 sets a 1 no Ibirapuera

Rafael Vergueiro, estadao.com.br

13 de junho de 2009 | 12h02

A seleção brasileira masculina de vôlei iniciou oficialmente neste sábado um novo ciclo olímpico e mostrou que pode continuar sendo motivo de muitas alegrias para o País. Com apenas três jogadores que disputaram a última Olimpíada em quadra (Bruno Rezende, Murilo e Serginho), o time oscilou um pouco no início da partida no ginásio do Ibirapuera, mas estreou com vitória sobre a Polônia na Liga Mundial 2009.

 

Veja também:

 link Liga Mundial: Bernardinho aponta erros do Brasil após estreia

lista  Todas as notícias da Liga Mundial 2009

 

O triunfo foi por 3 sets a 1, com parciais de 23/25, 25/18, 25/20 e 25/19. As duas equipes voltam a se enfrentar neste domingo em São Paulo, às 10 horas.

 

A nova geração do voleibol nacional teve dificuldade principalmente no primeiro set, quando errou muitos ataques aparentemente fáceis e sofreu com o forte saque do time adversário. Além dos medalhistas de prata em Pequim, iniciaram o jogo Éder, Lucas, Rivaldo e João Paulo Tavares, caras ainda pouco conhecidas pelo público.

 

Murilo, que assumiu o posto de capitão devido à ausência de Giba (ele e Rodrigão devem se reintegrar à seleção ainda na primeira fase do torneio), não fez uma boa primeira parcial e foi o termômetro do vôlei ruim apresentado pelo Brasil no começo do confronto. Bem marcado pelo bloqueio da Polônia, ele foi pouco eficiente e permitiu aos visitantes abrirem uma boa vantagem logo no início.

 

Bem no bloqueio, os comandados do técnico Bernardinho ainda conseguiram igualar o marcador em 11 a 11, mas voltaram a cometer muitos erros e a Polônia aproveitou para fechar o primeiro set, com atuação destacada de Jakub Jarosz.

 

TUDO MUDA

A partir do segundo set, a seleção brasileira, que antes parecia desentrosada, voltou a apresentar o voleibol que a torcida se acostumou nos últimos anos. O oposto Rivaldo e o ponta João Paulo Tavares começaram a brilhar e o bloqueio e a defesa polonesa não conseguiram mais parar o ataque brasileiro.

 

Sem sofrer muito, o Brasil começou a construir uma vantagem tranquila e encontrou pouca resistência para empatar o confronto. Já a Polônia, além da derrota na parcial, perdeu o bom jogador Bartosz Kurek, que foi obrigado a deixar a quadra após sofrer contusão.

 

Nos dois sets seguintes, o clima foi de pura festa no Ibirapuera. Embalado pelo público que lotou o ginásio, o time brasileiro não deu mais nenhuma chance ao adversário. O último ponto da partida foi do meio-de-rede Lucas.

 

Bernardinho ainda pôde testar outras opções e em alguns momentos da partida colocou em quadra o levantador Marlon e o ponta Leandro Vissotto.

 

DESTAQUE

Com 29 anos, Rivaldo não é mais um novato, mas mostrou que pode dar conta do recado no novo ciclo olímpico da seleção. Eficiente no ataque e no bloqueio, ele foi o destaque da partida deste sábado.

 

Nos momentos de maior dificuldade do Brasil, o levantador Bruno sempre procurou o companheiro, que poucas vezes foi parado pelo time adversário.

 

Além da Polônia, o Brasil, que está no Grupo D da Liga Mundial, ainda encara na primeira fase do campeonato a Finlândia e a Venezuela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.