Divulgação/CBV
Divulgação/CBV

Nova geração de centrais do Brasil se mira em Gustavo

Éder, Thiago Barth, Lucas e Sidão têm como ídolo o campeão olímpico pela seleção brasileira em Atenas

17 de junho de 2009 | 22h29

Éder, Thiago Barth, Lucas e Sidão formam, junto com o experiente Rodrigão, o grupo de meios-de-rede da nova geração da seleção brasileira masculina de vôlei. E os quatro jovens talentos têm algo em comum: ter como ídolo Gustavo, jogador detentor de duas medalhas olímpicas: ouro em Atenas (2004) e prata em Pequim (2008).

Mais jovem dos quatro e estreante na seleção, Thiago Barth sabe que estar no time principal do Brasil é uma oportunidade única para ele e para seus companheiros de posição.

"Aprendemos muito aqui. Particularmente, destaco a união e a garra para buscar os resultados. Além disso, a dedicação nos treinamentos é o que levarei da seleção para a toda a minha vida. Todos aqui lutam muito por um mesmo objetivo", afirmou.

Éder, que já integrou o grupo principal do Brasil em competições importantes como a própria Liga Mundial, explica o que tira de aprendizado em todos os dias que está sob o comando de Bernardinho.

"Aqui eu tive e tenho grandes exemplos. Treinei com o Gustavo, meu ídolo, e tive oportunidade de estar entre os melhores. No meu dia-a-dia, procuro ficar sempre observando, seja o bloqueio do Gustavo, o ataque do Rodrigão. Eu sempre estive atento para conseguir me espelhar e evoluir", disse Eder.

LIGA MUNDIAL

O Brasil, que venceu suas duas primeiras partidas contra a Polônia na Liga Mundial, encara na próxima sexta-feira e sábado, às 10 horas, a Polônia em Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.