João Pires/FotoJump/Divulgação
João Pires/FotoJump/Divulgação

Novas equipes movimentam a primeira rodada da Superliga feminina

Barueri, Maranhão e Brasília estreiam na competição, que completa 20 anos nesta temporada

O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2013 | 16h24

SÃO PAULO - A Superliga feminina começa nesta sexta-feira, com algumas novidades. Três das novas equipes, Barueri, Maranhão Vôlei e Brasília, entram em ação já na primeira rodada. A equipe de Osasco, que leva agora o nome de outra marca da Nestlé, Molico, vai usar uniforme azul branco e vermelho, aposentando o laranja, e as atletas vestirão um short-saia. O ginásio José Liberatti agora está pintado de azul.

"O short-saia foi uma ótima ideia porque toda mulher quer se valorizar e valorizar o corpo", disse a líbero Camila Brait, uma das mais elogiadas pelo público masculino.

Sheilla, Adenízia, Thaisa, Camila Brait e Fabíola, que estavam no Peru, a serviço da seleção brasileira, no Sul-Americano, chegaram ao clube na quarta-feira e só tiveram dois treinos com as companheiras. Mas isso deve ser suficiente para superar a equipe do Maranhão. A partida começa às 21h30 e terá transmissão ao vivo pelo SporTV.

Antes, às 19h30, Barueri entra em quadra contra o Brasília, de Paula Pequeno. Barueri montou uma equipe com as jogadoras que deixaram Jacareí, equipe montada sem patrocínio.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperligaSuperliga feminina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.