Osasco bate São Caetano e faz final contra o Rexona

A Superliga feminina de vôlei terá as mesmas equipes na final pelo quinto ano consecutivo. Isso porque na noite desta terça-feira o Finasa/Osasco não encontrou grandes obstáculos para vencer o São Caetano/Blausiegel por 3 sets a 0 (25/11, 25/16 e 25/22) e fazer 2 a 1 na série melhor-de-três partidas. Com a vitória, o time se classificou para decidir o torneio contra o Rexona/Ades, do Rio de Janeiro.

AE, Agencia Estado

15 de abril de 2009 | 00h06

Em 1h21 de jogo, o Osasco fez valer o mando de quadra. Determinado, o time anfitrião já abriu 17 a 3 no primeiro set, dando o tom da partida. Com grande atuação da meio-de-rede Thaísa, as donas da casa só encontraram resistência do São Caetano no último set. No entanto, a equipe do ABC nem de longe lembrou o time que venceu o Osasco por 3 a 2, no último domingo, em Barueri, empatando a série decisiva.

"Hoje (terça-feira) não tivemos obediência tática na defesa e isso fez muita falta. Caiu muita bola boba do nosso lado e, sem tirar o mérito do adversário, hoje não fomos a mesma equipe de domingo", reconheceu o técnico Chicão. Já pelo lado do Osasco, sobrou empolgação. "A Superliga está de parabéns. Todas as semifinais da competição foram definidas no terceiro jogo, provando o alto nível técnico. Estou feliz com a vitória. O time mostrou que joga com o coração, determinado. Somos um grupo valente", disse o treinador Luizomar de Moura.

Um dos destaques do Osasco, a ponta Paula Pequeno sofreu nas semifinais com dores no joelho, inclusive perdendo o primeiro jogo da série contra o São Caetano. Na segunda partida, ela entrou no final e nesta terça-feira já atuou normalmente, mostrando estar recuperada. "Passei por momentos difíceis com a lesão, mas as meninas seguraram a barra junto comigo. Tivemos uma postura de garra hoje e conseguimos a vitória", disse a jogadora após o triunfo em casa.

Agora, o Osasco terá o desafio de superar o Rexona na final, depois de ter perdido nos últimos três anos para a equipe carioca. Mesmo com a equipe do técnico Bernardinho tendo levado vantagem nas três finais de turnos disputadas nesta Superliga, Paula Pequeno segue confiante no título. "Estamos num ano diferente e com dois times diferentes nas finais. Temos que aproveitar nosso bom momento", afirmou a ponta do Osasco.

A grande decisão da Superliga feminina de vôlei acontece em jogo único, na manhã deste sábado, no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Enquanto Rexona e Osasco decidem o título, o São Caetano ainda joga a disputa pelo terceiro lugar da competição. O confronto é contra o Brasil/Telecom, de Brusque, e será realizado já nesta quinta-feira, no ABC paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.