Osasco busca recorde de vitórias na Superliga contra o Praia Clube

Time paulista é o único invicto da Superliga e, se vencer nesta sexta, pode chegar ao recorde de 20 vitórias consecutivas

O Estado de S. Paulo

14 de fevereiro de 2014 | 05h42

SÃO PAULO - O Molico/Osasco entra em quadra nesta sexta-feira, às 21h30, muito perto de alcançar uma marca histórica na Superliga Feminina. Se a equipe do técnico Luizomar de Moura derrotar o Banana Boat/Praia Clube, de Uberlândia, chegará à 20ª vitória consecutiva na competição, um recorde absoluto. A partida será disputada no ginásio José Liberatti, em Osasco, e será transmitida pelo SporTV.

 

A equipe paulista, atual vice-campeã nacional, é a única invicta da competição. Na terça-feira, na vitória contra o Pinheiros por 3 sets a 0, igualou a campanha da Unilever em 2011/12 como o time que mais venceu partidas de maneira consecutiva - 19 jogos.

 

"É uma marca importante e que deixa esse grupo marcado na história da Superliga e do vôlei brasileiro. Fico feliz porque é um grupo que merece, porque se dedica muito e trabalha com muita vontade. Vencer campeonatos e conquistar marcas importantes é o coroamento de tudo que elas se dedicam nos treinos, nos jogos e durante a temporada", afirmou Luizomar.

 

A partida contra o Praia Clube, válida pela sétima rodada do segundo turno da Superliga, marca a reta final do segundo turno da Superliga. Com uma sequência de competições disputadas (Copa Brasil e Sul-Americano, em que o time foi finalista em ambos), o treinador diz que o duelo desta noite será difícil e equilibrado. "Estamos vindo de uma sequência grande de jogos e contra adversários perigosos. Enfrentamos o Pinheiros e agora é a vez do Praia, dois times que sempre estão brigando pelas primeiras posições."

 

O Praia Clube vem de uma derrota apertada para o Vôlei Amil, por 3 sets a 2, em uma campanha de sete derrotas em 19 jogos. O técnico Spencer Lee confia na possibilidade de vitória, e consequentemente, ser o time a acabar com a incrível sequência invicta do rival. "Vamos entrar em quadra com o que temos de melhor e sabemos que o time que quer chegar entre os primeiros tem de jogar de igual para igual contra qualquer equipe."

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiOsascoSuperliga Feminina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.