Osasco vence o Vôlei Futuro e vai novamente à final da Superliga

Equipe venceu por 3 sets a 0 e fechou a série melhor de três em 2 a 0

AE, Agência Estado

23 de abril de 2011 | 11h35

O Osasco derrotou o Vôlei Futuro por 3 sets a 0 (25/21, 25/16 e 25/21), na manhã deste sábado, no Ginásio Plácido Rocha, em Araçatuba, no interior de São Paulo. Assim, fechou a série melhor de três jogos em 2 a 0 e garantiu presença em sua 10ª final consecutiva da Superliga Feminina de Vôlei. Agora, voltará a encontrar a velha rival Unilever, na decisão marcada para o dia 30 de abril, no Mineirinho, em Belo Horizonte.

Atual campeão, o Osasco soma outros três títulos na história da Superliga. Mas leva desvantagem no confronto com a Unilever (antiga Rexona), contra quem disputou a final das últimas seis edições da competição, tendo sido campeã duas vezes diante de quatro da rival. Agora, será escrito um novo capítulo desse incrível duelo entre as duas equipes, num jogo único que vai definir a vencedora da temporada 2010/2011.

Nas semifinais, o Osasco enfrentou um adversário abalado e fragilizado. O Vôlei Futuro sofreu um trauma com o acidente do ônibus da delegação no dia 12 de abril, poucas horas antes do primeiro jogo do confronto. A programação das partidas da Superliga foi adiada, mas, uma semana depois da batida, ainda com algumas jogadoras se recuperando dos ferimentos, a equipe de Araçatuba teve que voltar à quadra para jogar.

O Vôlei Futuro ainda ficou sem uma de suas titulares, a líbero norte-americana Stacy Sykora, que sofreu os ferimentos mais graves no acidente do ônibus - ela ainda segue internada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, mas vem mostrando uma boa recuperação. Assim, o time de Araçatuba foi presa fácil para o poderoso adversário de Osasco, que venceu o primeiro jogo na quarta-feira e voltou a ganhar neste sábado.

Comandado pelo técnico Luizomar de Moura, o Osasco é uma verdadeira seleção brasileira. Conta com jogadoras que são regularmente convocadas por José Roberto Guimarães para defender o Brasil, como Jaqueline, Thaísa, Adenízia, Natália, Sassá e Camila Brait. Do outro lado, a também finalista Unilever, do treinador Bernardinho, não fica atrás: Dani Lins, Sheilla, Mari, Fabi e Valeskinha fazem parte do grupo.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperliga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.