Toru Hanai/ Reuters
Toru Hanai/ Reuters

Ouro em Londres-2012, Adenízia anuncia afastamento da seleção feminina de vôlei

Central informou que vai se dedicar mais a família e ao seu futuro marido

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2019 | 18h38

Medalhista de ouro nos Jogos de Londres, em 2012, Adenízia anunciou nesta segunda-feira a decisão de não defender a seleção brasileira feminina de vôlei. Sem dar maiores detalhes, a central, que hoje atua na Itália, explicou que nesse momento vai se dedicar à família e ao seu futuro marido.

"Chegou o grande dia. Como eu gostaria que estivesse longe. Todos sabem o amor que eu sinto em jogar voleibol, em representar meu país. Doeu para tomar essa atitude, mas como todo atleta, esse dia chega. Para alguns não fui nada, não deixarei muita saudades. Para muitos fui alguma coisa, juro que tentei levar alegria e amor a todos. Continuarei sonhando e trabalhando duro, o futuro a Deus pertence, mas nesse momento preciso cuidar do meu futuro marido e da minha família", escreveu, em seu perfil no Instagram.

Adenízia, de 32 anos, defende atualmente o italiano Pallavolo Scandicci. A central possui um extenso currículo na seleção brasileira, com cerca de dez temporadas vestindo a camisa da equipe, ainda que na maior parte desse período como reserva. Nesses anos, acumulou a conquista de duas medalhas em Mundiais. Ela ainda subiu oito vezes ao pódio no Grand Prix, incluindo cinco títulos.

Mas ao mesmo tempo em que anunciou seu afastamento da seleção feminina, Adenízia deixou as portas abertas para um eventual retorno no futuro, indicando a possibilidade de voltar na próxima temporada, quando será realizada a Olimpíada de Tóquio. "O voleibol é a minha paixão e minha vida. Quem sabe não esteja sendo só um até logo! Tudo acontecerá na vontade Dele", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.