João Pires|Fotojump
João Pires|Fotojump

'Para mim, a seleção já deu', garante líbero Camila Brait

Jogadora de vôlei descarta rever aposentadoria em caso de troca de técnico

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

08 de setembro de 2016 | 15h57

A líbero Camila Brait reafirmou nesta quinta-feira, durante apresentação do elenco do Vôlei Nestlé em Osasco, a decisão de não vestir mais a camisa da seleção brasileira. Apesar de ter feito o anúncio da aposentadoria nas redes sociais apenas um dia após ser cortada dos Jogos Olímpicos, a atleta de 27 anos garantiu que não foi um ato impensado.

"Algumas pessoas falaram que eu estava de cabeça quente, que era muito cedo. Mas não, já estava pensando há algum tempo. Tomei essa decisão sozinha, não quis perguntar para meus familiares e para o meu marido. Alguns não concordaram, mas a família inteira me apoiou. Para mim, a seleção já deu. Acabou meu ciclo."

A permanência de Zé Roberto no comando da seleção feminina ainda não está definida. No entanto, Brait mostra firmeza ao dizer que não vai repensar a escolha mesmo que haja mudança na comissão técnica. A jogadora, que cedeu lugar para Léia na Rio-2016, foi cortada da seleção às vésperas da Olimpíada pela segunda vez na carreira. "Ele tomou a decisão, nunca vou criticar, mas fiquei decepcionada. Já passou, vida que segue."

Para Luizomar de Moura, treinador do Vôlei Nestlé, a resolução de sua comandada foi prematura e pode mudar no futuro. "Quem sabe as boas atuações e o carinho da torcida façam cicatrizar rápido essa ferida que está aberta, foi difícil quando ela chegou aqui, estava muito triste, mas vejo ela jogando em alto nível e pronta para fazer parte de qualquer seleção do mundo", afirma.

A líbero contou que recebeu um telefonema de Luizomar assim que tornou sua decisão pública. Eles voltaram a conversar no dia de seu retorno para o clube, e o treinador lhe deu alguns conselhos. Também falaram sobre o desejo de Camila Brait virar mãe, e a atleta levará o calendário do clube em consideração. "Estou pensando em engravidar logo depois da Superliga, vamos ver quando vai vir", projeta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.