Divulgação
Divulgação

Para Sada Cruzeiro, Vôlei Futuro tenta ganhar jogo no 'tapetão' com caso Michael

Clube mineiro foi multado em R$50 mil pelo STJD por comportamento homofóbico de sua torcida

estadão.com.br,

15 de abril de 2011 | 09h46

SÃO PAULO - A diretoria do Sada Cruzeiro declarou que a real intenção do Vôlei Futuro com a polêmica em torno do caso Michael é fazer com que a terceira partida da semifinal da Superliga masculina não aconteça em Contagem, cidade contígua a Belo Horizonte, onde os times jogarão na noite desta sexta-feira, às 20h30. Quem vencer, enfrenta o Sesi na final.

 

"As reclamações da direção do Vôlei Futuro sobre a decisão do STJD mostram que o real interesse dos dirigentes paulistas era evitar que o terceiro jogo fosse realizado em Contagem ou fazer com que o Sada Cruzeiro perdesse os pontos", declarou nesta sexta-feira a diretoria do clube mineiro, por meio de nota.

 

O Sada Cruzeiro foi multado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) em R$50 mil nesta quarta-feira, por causa do comportamento homofóbico da torcida do time mineiro que, repetidamente, chamou o central Michael, do Vôlei Futuro, de 'bicha' durante jogo da semifinal.

 

A diretoria do Sada Cruzeiro pretende recorrer da multa aplicada pelo STJD e justifica a decisão afirmando que "a torcida se expressa, nem sempre da maneira desejável, mas movida pelos costumes da sociedade em que vive".

 

 

Veja também:

linkJogo em Contagem revolta Vôlei Futuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.