Para Sheilla, Brasil aprendeu a jogar contra a seleção da Rússia

Vitória por 3 a 0 sobre as russas, na manhã deste sábado, manteve a equipe brasileira na liderança no grupo principal do Grand Prix

Diego Salgado, O Estado de S. Paulo

09 de agosto de 2014 | 15h47

A tranquila vitória sobre a Rússia na manhã deste sábado manteve o Brasil na liderança isolada no grupo principal do Grand Prix. O time de Zé Roberto Guimarães soma cinco vitórias, com 100% de aproveitamento. Diante da seleção russa, as brasileira venceram por 3 sets a 0, com parciais de 25/15, 25/21 e 25/17, em surpreendentes 83 minutos. 

De acordo com Sheilla, um dos destaques da partida, a seleção está mais experiente nos confrontos contra as rivais. "Aprendemos a jogar com a Rússia. Erramos bastante no segundo set, mas mantivemos a calma", disse a oposto, que marcou 13 pontos na partida, mesmo número de Fabiana - Thaísa foi a principal pontuadora, com 15 pontos (seis deles em bloqueios).

Nos últimos anos, Brasil e Rússia têm feito jogos disputados. Em 2006 e 2010, as russas conquistaram o bicampeonato mundial sobre o Brasil, com duas vitórias por 3 a 2. O troco brasileiro deu-se na Olimpíada de Londres, em 2012. Nas quartas de final, de virada, as brasileiras fizeram 3 a 2 e abriram caminho para a segunda medalha de ouro. Em maio deste ano, o time russo voltou a vencer no tie-break, no Montreux Volley Masters, na Suíça. 

INVICTAS

Para Sheilla, o time brasileiro voltou a jogar bem, após bater a Coreia do Sul por 3 a 0 na última sexta-feira. "Estamos fazendo jogos consistentes aqui no Brasil", disse.

Mesmo com a boa apresentação, a jogadora pediu atenção à equipe e lembrou que o time russo não contou com o talento de Gamova e Sokolova. "Lá na frente vai ser diferente, pode ser mais difícil."

Já a levantadora Dani Lins exaltou o apoio da torcida brasileira, que lotou o Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Para ela, o momento mais complicado na vitória sobre a Rússia ocorreu no segundo set, quando a equipe do Brasil ficou atrás no placar até o 19.º ponto. "Não é fácil virar, mas conseguimos com o apoio da torcida e entrar bem no terceiro set. A gente vê como é bom jogar em casa. Gostaria de mais fases aqui", afirmou. 

VERSÁTIL

A quinta vitória no Grand Prix voltou a deixar o técnico Zé Roberto Guimarães satisfeito com o desempenho das jogadoras. O treinador exaltou o jogada pelo meio da seleção brasileira. Juntas, Thaisa e Fabiana marcaram 28 pontos. 

"Com essa boa atuação, tanto no ataque quanto na defesa, o bloqueio adversário fica mais quebrado nas extremidades. Elas atraem um pouco mais a atenção das bloqueadoras", explicou.

Zé Roberto também teve uma notícia ruim. A levantadora reserva Ana Tiemi torceu o pé e ficará três semanas afastada do time. Inicialmente, o técnico não convocará outra jogadora. As finais do Grand Prix serão disputadas entre os dias 20 e 24 de agosto. O Brasil volta à quadra do Ibirapuera neste domingo, contra os Estados Unidos. Na semana que vem, na Tailândia, o time encontra novamente as norte-americanas. A participação na primeira fase será encerrada diante da República Dominicana e da seleção tailandesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.