Portugal é a surpresa do Mundial

Sem contar a eliminação na primeira fase dos cubanos e, na segunda etapa, dos norte-americanos - a seleção de Portugal é a maior surpresa do Mundial de Vôlei Masculino, que está sendo realizado na Argentina. A seleção é formada por estudantes e por jogadores que se dividem entre o trabalho e a quadra. Disputaram somente um Mundial, em 1956, porque a Federação Portuguesa foi uma das fundadoras da Federação Internacional (FIVB). Ficaram em 15º. Além disso, não sabem o que é Olimpíada e lutam para disputar novamente o Campeonato Europeu - em 1948 e 1951, também como convidados, ficaram em 4º e 7º respectivamente. "Vamos voltar ao Europeu", garante o técnico cubano Juan Diaz, que assumiu o comando da seleção de Portugal há dois anos - quer também levar a seleção à Olimpíada de Atenas, em 2004. Explica que na primeira fase do Pré-Europeu ficaram em primeiro lugar do grupo (conta também com Eslováquia, Ucrânia e Turquia). Se repetirem a façanha na segunda fase, conquistam a vaga."Gosto de desafios, de trabalhar com jovens. Uns dizem que sou louco, mas...", suspira o treinador, que trabalhou à frente da seleção masculina de Cuba de 1994 a 2000 - conquistou um ouro, três pratas e um bronze na Liga Mundial e ficou em 3º no Mundial do Japão (1998). Juan afirma que a maior dificuldade foi acostumar os jogadores com o ritmo de treinamento. Em Portugal, treina-se uma vez à noite, após o expediente. É o quinto esporte na preferência do público (atrás do futebol, hóquei sobre patins, basquete e handebol).O objetivo era terminar o Mundial entre os 16 melhores (a competição começou com 24 seleções). Já estão entre os 8 - venceu a Espanha (3 a 2) e a Polônia (3 a 1) na segunda fase e China (3 a 1) e Austrália (3 a 1) na primeira etapa. "Que coisa estarmos aqui! Acho que não caiu a ficha ainda", declarou Hugo Gaspar, de 20 anos, o destaque do time, que estuda para ser médico. É o quinto maior pontuador do torneio (96 pontos) e o oitavo atacante - o líder nas estatísticas é o brasileiro André. "Gostaria de ser jogador profissional. Quem sabe um dia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.