Portugal festeja desempenho no vôlei

A seleção de Portugal, grande surpresa do Campeonato Mundial, disputará a partir desta sexta-feira um posto entre 5º e 8º lugares - a decisão final dessas posições ocorrerá no domingo, com a disputa pelo 5º lugar, em Buenos Aires. Mesmo com a derrota por 3 a 0 para a Iugoslávia, nesta quinta-feira, no Orfeo Superdomo, em Córdoba, jogadores e comissão técnica estão mais do que satisfeitos com a participação até agora. A derrota era esperada. Na quadra, a diferença técnica e física era evidente, saltava aos olhos. Os iugoslavos, que estavam ´relaxados´ diante do rival, são mais altos (média de 1,98) e fortes. "Estávamos muito ansiosos com o jogo. O objetivo era dificultar o máximo a vida dos iugoslavos", declarou o capitão Ubirajara Pereira, brasileiro naturalizado português. Para o técnico de Portugal, o cubano Juan Diaz, seus atletas precisam aprender a enfrentar adversários temidos, como os iugoslavos, atuais campeões olímpicos. Há dois anos trabalhando com os portugueses, sabe, no entanto, que levará tempo para conseguir tirar o máximo de proveito de seus atletas. "São mais fracos fisicamente sim. Ainda mais que estou acostumado com o porte dos cubanos, que são muito grandes. Mas nesta quinta-feira, o jogo foi como cumprir tabela. Meus jogadores não acreditavam que podiam vencer a Iugoslávia." Diaz comentou ter ficado triste com a eliminação precoce da seleção de Cuba - não passou da primeira fase -, com a qual trabalhou de 1994 a 2000. "São muito jovens e precisam de um tempo para crescerem." Disse que tem contato com os atletas que desertaram e eles aguardam autorização para defender clubes italianos - provavelmente na temporada de clubes de 2003/2004. "Não condeno a atitude deles. Cada um sabe o que é melhor para si." Diaz acredita que Cuba voltará a eleite do vôlei em dois anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.