Alexandre Arruda| Divulgação
Alexandre Arruda| Divulgação

Praia Clube se garante em sua 1ª final de Superliga e pega o RJ

Fator casa foi decisivo em semifinal mineira

Redação, Estadão Conteúdo

29 de março de 2016 | 08h50

O representante mineiro na decisão da Superliga Feminina de Vôlei será um novato. Na noite de segunda-feira, o Dentil/Praia Clube se classificou pela primeira vez para a decisão do torneio ao derrotar o Camponesa/Minas por 3 sets a 0, com parciais de 25/21, 25/18 e 25/22, em 1 hora e 37 minutos, em Uberlândia.

O fator casa acabou sendo decisivo para a classificação do Praia Clube. Afinal, o time de Uberlândia venceu os dois jogos da série que fez como mandante, sendo batido em Belo Horizonte pelo Minas. Assim, se garantiu na decisão da Superliga e agora terá pela frente o Rexona-Ades, do Rio de Janeiro, que passou pelo Vôlei Nestlé, de Osasco, também em três jogos.

A decisão da Superliga Feminina reunirá os times que fizeram as melhores campanhas na primeira fase. A partida que vai decidir o campeão nacional será disputada no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, na manhã do próximo domingo, e colocará frente a frente um time que se classificou para as últimas 12 finais do torneio - o Rexona - e um que até esta edição nunca nem havia alcançado as semifinais - o Praia.

Na noite de segunda-feira, a norte-americana Alix Klinemann foi a maior pontuadora do duelo, com 12 pontos para o Praia, enquanto Michellle Pavão acabou sendo eleita a melhor jogadora da partida. E com o apoio da torcida e um ritmo acelerado, a equipe de Uberlândia não deu muita chance de reação ao Minas.

Assim, o Praia também confirmou o seu predomínio diante do time de Belo Horizonte, a quem derrotou em sete dos oito duelos realizados nesta temporada - o único tropeço ocorreu no duelo anterior da semifinal -, o que inclusive lhe rendeu mais um título mineiro. Agora a equipe de Uberlândia quer fazer história e faturar o título da Superliga na manhã do próximo domingo, superando o favoritismo do Rexona-Ades.

"Nosso jogo encaixou muito bem com o do Minas nesta temporada. Fizemos oito embates contra eles e conquistamos sete triunfos. Sabemos do nível do adversário. Lá (BH) eles foram muito bem com o apoio da torcida. Aqui, no nosso caldeirão, fizemos grandes partidas e sempre apresentamos um voleibol sólido. Agora é o Rio na final. Eles têm o favoritismo, afinal, são decacampeões nacionais. A gente, no entanto, vai buscar o inédito troféu para a galeria do Praia Clube. Será um grande duelo e, com certeza, aquele que for mais aguerrido e equilibrado sairá vencedor de Brasília", afirmou Ricardo Picinin, o técnico do Praia.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    vôleiSuperliga Feminina de Vôlei

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.