Osasco/Twitter
Osasco/Twitter

Recuperada da covid-19, Tandara volta com 33 pontos e lidera vitória do Osasco

Jogadora foi eleita a melhor em quadra no triunfo sobre o Curitiba Vôlei por por 3 sets a 1

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2021 | 23h25

Recuperada do coronavírus, Tandara brilhou nesta sexta-feira pelo Osasco São Cristóvão Saúde. A oposta marcou 33 pontos e liderou a equipe no triunfo, de virada, da sua equipe sobre o Curitiba Vôlei por 3 sets a 1, com parciais de 19/25, 28/26, 25/21 e 25/20. O duelo, válido pela Superliga Feminina, foi disputada no ginásio José Liberatti.

Por ter contraído a covid-19, Tandara havia desfalcado o Osasco em seus últimos dois compromissos no primeiro turno. Mas fez seu retorno contra o Curitiba, numa partida em que o Osasco não teve Jaqueline, poupada em função de dores no joelho. 

O triunfo deixa o Osasco com os mesmos 33 pontos do líder Minas, com 11 vitórias e 1 derrota, mas na segunda posição em função dos critérios de desempate. Já o Curitiba é o sétimo colocado, com 17 pontos, 5 vitórias e 7 derrotas. 

Também nesta sexta-feira, o Sesi Vôlei Bauru derrotou, também de virada, o Pinheiros por 3 a 1, com parciais de 23/25, 25/20, 25/18 e 25/23, no ginásio Panela de Pressão. A ponteira Tifanny se destacou pelo time da casa com 19 pontos, mas a maior pontuadora do duelo foi do time da capital, a ponteira Edinara, com 26 acertos (24 de ataque e dois de bloqueio).

O resultado deixa o Sesi Bauru em terceiro lugar, com 25 pontos, 9 vitórias e 3 derrotas. Já o Pinheiros é o oitavo, com 10 pontos e 3 triunfos em 12 duelos. 

No Rio, o Sesc RJ Flamengo venceu fácil o Fluminense por 3 sets a 0, com parciais de 25/11, 25/15 e 25/16, no ginásio Hélio Maurício. A partida havia sido adiada da quinta rodada do turno em função de casos de coronavírus. 

O Flamengo está em quinto lugar na Superliga Feminina com 24 pontos, fruto de 8 vitórias e 3 derrotas. Já o Fluminense é o décimo colocado, com 6 pontos e 2 triunfos em 10 duelos. 

Aniversariante do dia, a oposta Lorenne, que completou 25 anos foi a maior pontuadora do confronto, com 15 acertos (11 de ataque, dois de bloqueio e dois de saque).

“O Fluminense tem bolas muito rápidas, pelo meio, tempo costas com saída, sempre muito difícil de marcar. A gente veio com um objetivo de sacar muito bem, manter uma consistência no fundamento, que foi uma das nossas falhas no jogo contra o Sesi Bauru. Estamos atrás disso ao longo de toda a competição. E hoje toda equipe funcionou muito bem taticamente. Com essa relação de saque/bloqueio, conseguimos anular essas bolas rápidas delas, o que acabou deixando o jogo um pouco mais fácil para a gente”, analisou Lorenne.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.