Alexandre Arruda/CBV
Alexandre Arruda/CBV

Reserva Da Silva salva o RJX na abertura da semifinal da Superliga

Oposto sul-matogrossense deixa o banco e se torna o herói da vitória carioca, com grande atuação no tie-break

Alessandro Lucchetti, O Estado de S. Paulo

23 de março de 2013 | 13h34

SÃO PAULO - A semana não foi boa para o bilionário Eike Batista, que vê sua fortuna encolher. Na última sexta-feira, as ações da LLX despencaram em 11,1% na Bovespa; as da OGX, em 9,2%, e as da MMX se depreciaram em 8,3%. O investimento em seu time de vôlei, ao menos, está dando retorno. Neste sábado, o  RJX venceu a primeira partida da série semifinal que trava com o Minas Tênis Clube: 3 a 2 no Maracanãzinho, com parciais de 25/23, 21/25, 19/25, 25/22 e 15/13, após quase três horas de jogo.

Apesar de ter perdido o primeiro set, o Minas tomou conta do jogo, com soberba apresentação do levantador Marcelinho, que vive uma das melhores fases de sua carreira aos 38 anos. O veterano soube acionar muito bem suas principais armas, como o oposto checo Filip e o ponta Lucarelli, a maior revelação recente do vôlei brasileiro.

Mas Marcelo Fronckowiak, um dos dois únicos treinadores da Superliga que têm título da competição também como jogador, ao lado de Giovane, buscou alternativas em seu banco e encontrou: sacou o apático Théo, que foi campeão mundial em 2010, e deu chance a Paulo Victor Costa da Silva, que gosta de ser chamado Da Silva. O suplente de 26 anos e 1,97m começou a virar as bolas e o levantador Bruninho, no tie-break, concentrou o ataque em seus braços. E o reserva se consagrou, marcando sete pontos no tie-break.

“Entrei um pouco nervoso e demorei a encaixar, mas o Dante me tranquilizou em determinado momento, e consegui render melhor depois disso. Fiquei muito feliz de ter ido bem no tie-break de um jogo tão duro como esse, de ter correspondido em relação ao que o treinador e o time esperavam de mim. Vamos precisar trabalhar muito até o próximo jogo, mas estou muito feliz por ter ajudado o time a sair em vantagem”, disse o herói do jogo, em entrevista ao SporTV.

Mesmo tendo sido efetivado como titular apenas no quarto set, Da Silva terminou o jogo como o maior pontuador do RJX, com 15 pontos. O maior anotador da partida foi Filip, com 26, mais que um set inteiro.

A segunda partida da série será no próximo sábado, no Mineirinho, em Belo Horizonte.

Lucarelli poderia ter saído do Maracanãzinho consagrado, mas mostrou que ainda tem mesmo muito a aprender. Talvez por excesso de confiança, encarava o bloqueio a todo momento e, a despeito de toda a sua potência, por vezes foi detido. Algumas falhas na recepção e no saque também pesaram numa partida tão equilibrada.

Resta à torcida do Minas o papel de lotar o Mineirinho. O técnico argentino Horacio Dileo, contratado para suceder o próprio Fronckowiak, vem realizando um ótimo trabalho. A equipe mineira, bastante prejudicada por uma série de lesões, despontou na fase final da fase classificatória e provou que pode se equiparar ao RJX, time que tem a mais pesada folha salarial da Superliga.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperliga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.