Rexona avança à final e Fofão vive expectativa de parar como campeã

Levantadora ajuda time a chegar à decisão da Superliga de vôlei

O Estado de S. Paulo

09 de abril de 2015 | 23h37

O Rexona-Ades-RJ vai em busca de seu 10.º título da Superliga Feminina de Vôlei. Nesta quinta-feira, em casa, a equipe do Rio venceu o Camponesa/Minas-MG por 3 sets a 0 - parciais de 25/17, 25/18 e 25/21 - e garantiu vaga na decisão da competição. Agora o time espera o vencedor do duelo entre Molico/Nestlé-SP e Sesi-SP, que se enfrentam nesta sexta. O time de Osasco (SP) venceu o primeiro duelo e, em casa, pode garantir a vaga antecipada.

Para a levantadora Fofão, a final da Superliga será marcante por ser sua última vez em quadra. A vitoriosa jogadora de 45 anos já vive a emoção dos últimos passos no vôlei. "É muito bom. Nos preparamos toda a temporada e ficamos muito felizes por estar mais uma vez na final. Será minha última e já sinto um friozinho na barriga. Vou jogar mais do que nunca, com o coração, pois será meu último jogo em quadra", avisou a atleta, que prefere não escolher rival. "Lá será uma briga boa, acho que vai para o terceiro jogo, e quem vier não será fácil".

Dez anos mais jovem mas também muito experiente, a líbero Fabi também se emocionou bastante com a vaga na final da Superliga e argumentou que isso se deve à aposentadoria de Fofão que está bem perto. "Fico assim pela emoção de uma temporada inteira. É minha décima final consecutiva e faço isso aqui com muito amor", explicou a jogadora, que deixou pelo caminho a amiga Jaqueline, destaque do Camponesa/Minas e fundamental para a classificação do time até esta fase.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperliga FemininaFofão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.