Divulgação
Divulgação

Rodrigão 'esquece' fico e é sexto jogador a deixar o RJ Vôlei

Central de 34 anos desfaz promessa de ficar no time até o fim da Superliga e anuncia ida ao Irã

17 Fevereiro 2014 | 17h19

SÃO PAULO - O central Rodrigão, de 34 anos, voltou atrás na promessa que havia feito ao RJ Vôlei e deixou o clube nesta segunda-feira. O medalhista olímpico vai disputar os playoffs do Campeonato Iraniano, pelo Barij Essence Kashan, e é o sexto jogador a sair do atual campeão da Superliga.

 

"Meu pensamento era o de permanecer no Brasil até o final da Superliga, mas todos sabem dos problemas que o RJ vem enfrentando nesta temporada. Além disso, o acordo com o Kashan é curto, de menos de um mês, pois o último jogo da decisão está previsto para 15 de março".

 

O jogador comunicou sua saída no início da manhã e, na noite desta segunda-feira, já embarca para o Irã. "As coisas aconteceram muito rapidamente."

 

Em janeiro, o central havia anunciado que ficaria no RJ Vôlei até o fim da atual edição da Superliga, mesmo tendo recebido propostas de clubes do exterior. "Eu também recebi propostas de clubes da Turquia e da Rússia, mas decidi permanecer no Rio até o final da Superliga. Foi uma escolha pessoal minha, pois sair do Brasil não faz parte dos meus planos neste momento", afirmara à época.

 

Em crise financeira após perder o patrocínio da OGX do empresário Eike Batista, o RJ Vôlei perdeu jogadores como o levantador Bruninho, que foi para a Itália, e o oposto Leandro Vissotto, que se transferiu para a Coreia do Sul. Eles ficaram quatro meses sem receber salários.

 

O time não pôde repor as perdas no elenco por causa do regulamento da Superliga, que não prevê uma "janela de transferências". Um pedido foi feito à Confederação Brasileira de Vôlei para que uma exceção fosse adotada. O pleito foi levado à votação, mas não houve unanimidade dos clubes.

 

Agora, com apenas nove jogadores no elenco - Rodrigão chegou a ser improvisado como ponteiros -, o RJ enfrenta o Sesi, vice-líder da Superliga, no sábado, em São Paulo, pela penúltima rodada do segundo turno. Mesmo com todas as dificuldades (e sete derrotas em nove jogos no returno), o time carioca está em quinto lugar na classificação e deve garantir uma vaga entre os oito dos playoffs.

Mais conteúdo sobre:
vôleiRJ VôleiSuperliga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.