Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Rodrigão será o capitão brasileiro na Copa América de vôlei

Meio-de-rede substituirá Giba, que não foi chamado pelo técnico Bernardinho para o torneio em Cuiabá

Redação,

23 de setembro de 2008 | 19h18

Sem a presença de Giba na equipe, o meio-de-rede Rodrigão será o capitão da seleção brasileira masculina de vôlei, que estréia nesta quarta-feira contra o México na Copa América, competição que será disputada em Cuiabá (MT).Veja também:Bernardinho admite desconhecer time do México"Com a ausência do Giba, eu já imaginava que poderia ser chamado para ser o capitão. Quando o Bernardo conversou comigo, eu fiquei muito contente e aceitei na hora. Se é um orgulho vestir a camisa do Brasil, mais ainda será atuar como capitão", assinalou o jogador.Em 2007, o atleta também chegou a ser capitão da seleção durante parte da campanha vitoriosa na Liga Mundial. No entanto, com o retorno de Giba na ocasião, teve que entregar a faixa. "Agora se conquistarmos o título eu é que vou receber a taça", afirmou Rodrigão".Dos jogadores que conquistaram a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Pequim, além de Rodrigão, o técnico Bernardinho levou apenas outros quatro para o torneio: o oposto André Nascimento, o levantador Bruno e os pontas Dante e Murilo.TORNEIO PARA TESTESDe acordo com Bernardinho, sua principal preocupação neste momento não é o resultado final da competição."A prioridade será testar estes jovens jogadores, já pensando em mais um ciclo olímpico. O resultado é importante, mas, neste momento, o pensamento é mais à frente. Todos que estão aqui se encaixam neste perfil", afirmou.No entanto, Bernardinho acredita que jovens como Daniel, Leandrão e Leandro Vissoto vão conseguir manter o Brasil nas primeiras colocações. "A molecada que está aqui não é completamente verde. Todos já passaram pelas seleções de base e de Novos. Já disputaram competições internacionais e não sentirão a pressão. Tenho certeza que eles irão muito bem".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.