Rubinho espera por 2 jogos equilibrados entre Brasil e Austrália na Liga Mundial

A seleção brasileira masculina de vôlei voltará a jogar pela Liga Mundial neste sábado, quando enfrentará a Austrália, a partir das 6h10 (de Brasília), em Sydney, pelo Grupo A. Líder da chave, com 18 pontos, o time nacional terá pela frente um rival que somou apenas três, depois de uma derrota e sete derrotas em oito partidas.

Estadão Conteúdo

26 de junho de 2015 | 14h31

Apesar do retrospecto ruim dos donos da casa, o técnico Rubinho, que substitui Bernardinho, suspenso por 10 jogos, acredita que o Brasil travará dois duelos parelhos com os rivais - os dois países voltam a se enfrentar no domingo, às 3h30 (de Brasília).

"A Austrália neste ano está com uma equipe um pouco mais nova do que a que jogou o ano passado. Está um pouco renovada, mas ainda é um bom time, tanto é que ganhou o direito de estar no Grupo 1 na quadra. Espero por dois jogos equilibrados", analisou o comandante, em declarações reproduzidas pelo site oficial da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

Em Sydney, Rubinho poderá usar as partidas diante dos australianos para testar novas opções da equipe brasileira, até porque desta vez ele não contará com o ponteiro Murilo e o líbero Serginho, que retornaram ao Brasil após terem enfrentado a Itália por duas vezes na rodada passada da Liga Mundial, em Roma.

O Brasil também não tem grandes preocupações neste estágio da competição, pois já está garantido na fase final como país-sede das disputas que ocorrerão entre 14 e 19 de julho, no Maracanãzinho, no Rio. Desta forma, a equipe nacional vem lutando para ganhar força e entrosamento antes do estágio derradeiro da competição, assim como busca outras formas de não relaxar demais por estar classificado por antecipação.

Em Sydney, o simples fato de treinar no parque olímpico dos Jogos de 2000 foi citado pelo levantador Raphael como um fator importante. "A estrutura de treinamento é fantástica e poder usufruir de tudo que nos oferecem aqui no parque olímpico é uma motivação a mais. Poder estar aqui, fazer parte de toda a história que esse lugar tem, é incrível. Tenho certeza de que os jogos de sábado e domingo têm tudo para serem um grande espetáculo", afirmou o jogador.

Mesmo com vaga já assegurada na fase final da Liga Mundial, a seleção brasileira lidera com folga o Grupo A da competição, com seis vitórias e duas derrotas. Com 18 pontos, vê a Sérvia atrás com 14 pontos e a Itália com 13.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiLiga MundialBrasilAustrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.