Rússia vence e termina em 3º na Liga

Depois de ter sido eliminada da decisão da Liga Mundial pelo Brasil, na sexta-feira, a Rússia conquistou a medalha de bronze. Hoje, com uma equipe diferente daquela que caiu nas semifinais, derrotou a Iugoslávia por incontestáveis 3 sets a 0 (25/20, 25/20 e 25/23), em 1h08, em Katowice, na Polônia. O técnico russo Guennadi Chipouline revolucionou e não colocou em quadra o capitão Konstantin Ushakov, que errou um lance decisivo no último set contra os brasileiros, e nem Roman Iakovlev, o melhor atacante da Copa do Mundo de 1999 e maior pontuador russo da Liga Mundial. Ilia Saveiliev e Sergei Tetioukhine também ficaram de fora do confronto. Chipouline não ficou satisfeito nem com a conquista da medalha de bronze. Em 2000, a Rússia foi vice-campeã, perdendo a final para a Itália. "Viemos para ganhar. O terceiro lugar não nos satisfaz, mas aprendemos muito e espero vencer a proxima", comentou. Zoran Gajic, técnico iugoslavo, não foi tão severo com seus jogadores. "Eliminou" apenas Igor Vusurovic dos dois primeiros sets. O levantador Nikola Gbric iniciou a partida em seu lugar, mas com dores no dores no joelho direito, foi substituído por Rajko Jokanovic. O confronto de hoje foi marcado pelos resultados do dia anterior. A Iugoslávia esteve mais apática. Ainda não estava recuperada do golpe de ter ficado de fora da decisão do título, após liderar a semifinal contra a Itália por 2 sets a 0. Os russos, no entanto, pareciam mais determinados em pelo menos subir no pódio. Assim, não tiveram dificuldades para vencer o confronto. Marcaram o ritmo, estiveram à frente do placar nos três sets e abusaram do bloqueio alto e do saque forte. No primeiro set, a vantagem russa oscilou entre quatro (10/6) e seis pontos (23/17). Nas parciais seguintes, a Iugoslávia, campeã olímpica, teve ligeira melhora, ficou dois pontos na frente em algumas situações, mas a Rússia, vice-campeã nos Jogos de Sydney, em 2000, foi arrasadora e vingou-se da perda do título olímpico. No total, os russos anotaram 42 pontos de ataque, 10 de bloqueio, seis de saque e 17 em erros do adversário. Já a Iugoslávia somou 41 pontos de ataque, dois de bloqueio, dois de saque e 18 em função dos erros dos russos. As duas seleções voltam a se enfrentam a partir do dia 8 de setembro no campeonato da Europa, que será disputado na República Checa. Reeleição - O mexicano Ruben Acosta, que desde 1984 preside a Federação Internacional de Vôlei (FIVB), anunciou hoje, em Katowice, que irá apresentar sua candidatura à reeleição, no Congresso Mundial que acontecerá no próximo ano em Buenos Aires. "Alguns presidentes de Confederações me pediram para ficar", alegou Acosta.Brasil e Itália decidem o título da competição, a partir das 12h30.

Agencia Estado,

30 de junho de 2001 | 10h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.