Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

São Caetano luta contra favoritismo do Rexona-Ades

O São Caetano/Mon Bijou começa nesta quarta-feira uma batalha duríssima pela sobrevivência na Superliga Feminina de Vôlei. A equipe do ABC recebe o invicto e favorito Rexona/Ades, às 19h30, na primeira partida da série melhor-de-cinco da semifinal.A equipe carioca, comandada por Bernardinho, venceu todos os 18 jogos da fase classificatória e quartas-de-final, e conta com boa parte do elenco da Seleção Brasileira: Sassá, Jaqueline, Renatinha, Fabiana e Fabi são estrelas no elenco. O São Caetano, por sua vez, encerrou a primeira fase em quinto lugar e nas quartas passou pelo Pinheiros/Blue Life. Nesta terça, o técnico Antônio Rizola fez um treino técnico e tático, além de exibir um vídeo das adversárias.Segundo o treinador, a torcida do ABC será essencial na largada da briga pela vaga na final. ?As jogadoras estão motivadas pelo clima que começou a tomar conta da cidade. O jogo está sendo bem divulgado, o patrocinador está convocando a torcida e as arquibancadas estarão cheias, mas sabemos que será uma partida dificílima?, admite.Do outro lado, Bernardinho repete o discurso e desconversa em relação ao favoritismo de seu time. ?O mais importante é não pensar no favoritismo para não atrapalhar o desempenho das jogadoras. O São Caetano é uma grande equipe, que demonstrou muita força nas quartas-de-final.?Sobre as adversárias, o técnico analisa: ?O esquema defensivo e o bloqueio são os pontos fortes delas. É uma equipe perigosa. Espero poder contar com todas as jogadoras do Rexona/Ades em boas condições. Temos de forçar o saque e recepcionar bem?, conclui Bernardinho.Banespa começa semifinal fora de casaNa competição masculina, o Banespa/São Bernardo vai a Florianópolis enfrentar o Cimed, às 19h30, com SporTV. A equipe da casa, comandada por Renan Dal Zoto, foi a segunda na fase classificatória, com 16 vitórias e seis derrotas. O Banespa foi o terceiro, com 15 triunfos e sete derrotas.Renan avalia: ?O equilíbrio ficou comprovado na fase classificatória, na qual cada equipe ganhou um jogo. São duas equipes que trabalham em cima de estatísticas, se preocupam com a parte tática.?Pelo Banespa, Mauro Grasso, sabe que sua equipe não é favorita: ?Contra a Cimed, nos preparamos para um outro tipo de jogo, mais veloz. Desde o início apostei em Telemig Celular/Minas e Cimed como finalistas, mas vamos tentar evitar que essa decisão aconteça.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.