Divulgação/ FIVB
Divulgação/ FIVB

Seleção feminina de vôlei abre a segunda semana da Liga das Nações contra o Japão

Ocupando a sexta colocação, Brasil também enfrentará Rússia, na terça-feira, e Itália, na quarta

Redação, Estadão Conteúdo

30 de maio de 2021 | 16h20

 

A seleção brasileira feminina de vôlei chega para a segunda semana de jogos na Liga das Nações, que acontece em Rimini, na Itália, a partir desta segunda-feira, quando terá o Japão como adversário. O duelo será às 10 horas (de Brasília). Até agora, depois da primeira semana, o Brasil soma duas vitórias e um resultado negativo. O grupo dirigido pelo técnico José Roberto Guimarães venceu o Canadá e a República Dominicana e acabou superado pelos Estados Unidos.

Para retomar a sequência de vitórias, a experiente central Carol Gattaz sabe que o Brasil não terá facilidade. "Temos treinado bastante e de forma intenso. Sabemos que nessa segunda fase precisamos de uma atenção maior. O primeiro adversário é o Japão, que é um time que está completo também, além de ser muito rápido e difícil de jogar. É um confronto que exige muita paciência porque elas são muito rápidas e costumam jogar muito bem taticamente", analisou.

A central ainda falou sobre a sequência da seleção brasileira nesta segunda semana de Liga das Nações. "Logo depois do Japão, vamos enfrentar a Rússia, que é um jogo completamente diferente, com bolas altas e mais cadenciado. Por isso, temos que nos preparar para tudo da mesma maneira. Depois, mesmo com as meninas mais novas da Itália, é um jogo que precisa de muita atenção", disse Carol Gattaz.

A jogadora aposta, no entanto, na importância do foco estar no próprio grupo. "Nossa preparação está muito boa. Nosso time está cada vez mais evoluindo técnica e fisicamente e acho que cada semana vamos crescer como grupo. Isso é o mais importante agora", concluiu.

Depois do Japão, a seleção brasileira terá, nesta segunda semana ainda, confrontos contra a Rússia, na terça-feira, e a Itália, na quarta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.