Seleção feminina de vôlei admite irregularidade em vitória sobre a Tailândia

O torcedor que compareceu em bom número ao Ibirapuera na manhã deste sábado não chegou a se decepcionar, mas não esperava que o Brasil fosse perder um set sequer para a Tailândia no seu quinto compromisso do Grand Prix. A vitória veio, mas por 3 a 1, depois de a equipe do técnico José Roberto Guimarães mostrar irregularidade e ser superada no segundo set.

Estadão Conteúdo

11 de julho de 2015 | 14h33

"Perder um set faz parte no contexto do campeonato. Nosso porcentual de passe foi muito baixo no dia de hoje (sábado). No terceiro e no quarto sets conseguimos equilibrar o nosso passe e jogamos melhor. Também alcançamos mais três pontos que serão importantes para a sequência do Grand Prix", comentou o técnico.

Uma das veteranas do time, a ponteira Fê Garay admite a atuação ruim no segundo set. "O que não fizemos no segundo set foi acertar o bloqueio. Elas jogam com bolas muito rápidas e não estávamos encontrando o tempo ideal. Também sacamos mal no segundo set, o que facilitou para que elas acelerassem. Nas outras parciais voltamos a sacar bem, acertamos a marcação do bloqueio e conseguimos impor um ritmo muito forte."

Já a central Carol, que assim como Garay terminou como maior pontuadora do jogo, com 17 pontos, admite que o time falhou em diversos aspectos. "A gente sabia que precisava muito do nosso saque no jogo de hoje (sábado). E no segundo set nosso saque não foi bom. Isso gerou um reflexo. Não estávamos bloqueando nem defendendo bem. Nos outros sets nós sacamos bem, rapidamente corrigimos e fizemos elas utilizarem bolas mais lentas. Sempre entramos querendo que tudo dê certo, e algumas vezes algo sai diferente, ocorre uma surpresa, e temos que nos readaptar. O importante foi manter a invencibilidade e somar mais pontos dentro de casa."

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiGrand Prix

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.