Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Seleção feminina de vôlei muda horário de treinos para adaptação ao fuso do Japão

Brasil está no Grupo D do Campeonato Mundial ao lado de Sérvia, República Dominicana, Porto Rico, Casaquistão e Quênia

Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2018 | 15h46

A seleção brasileira feminina de vôlei iniciou, nesta segunda-feira, uma nova programação para a disputa do Campeonato Mundial, que começará no próximo dia 29, no Japão. A equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães passou a treinar às 13h30 (1h30 de Brasília), horário próximo dos primeiros desafios do equipe contra Porto Rico e República Dominicana.

Zé Roberto comentou sobre a mudança na programação. "Hoje (segunda) treinamos em um horário que não é o nosso de costume. Estamos nos aclimatando ao fuso horário do Japão e vivemos a segunda etapa desse período que é a adaptação aos horários dos jogos", ressaltou o comandante, em declarações reproduzidas pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV). "Vamos enfrentar em sequência Porto Rico e República Dominicana. As partidas vão acontecer às 13h40 no horário do Japão e readequamos nossa programação em função desses jogos", reforçou.

A ponteira e oposta Rosamaria também falou sobre o novo cronograma de trabalho. "Foi nosso primeiro treino no horário oficial (local). Tivemos um dia muito produtivo e acredito que aproveitamos de uma forma positiva o treinamento", enfatizou.

O Brasil está no Grupo D do Campeonato Mundial ao lado de Sérvia, República Dominicana, Porto Rico, Casaquistão e Quênia. As equipes se enfrentarão dentro do grupo e as quatro mais bem classificadas passarão à segunda fase.

A estreia do Brasil será no dia 29 de setembro, à 1h40 (de Brasília) contra as porto-riquenhas, em Hamamatsu, no Japão.

O Campeonato Mundial irá até o dia 20 de outubro e o Brasil lutará por um título inédito, depois da conquista das medalhas de prata nas edições de 1994, 2006 e 2010 da competição, além do bronze, em 2014. Em compensação, neste mesmo período o time nacional faturou dois ouros olímpicos, nos Jogos de Pequim-2008 e Londres-2012.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.