Divulgação / FIVB
Divulgação / FIVB

Seleção feminina joga mal, mas vence a Rússia na Liga das Nações

Brasileiras venceram no tie-break e recuperaram a segunda colocação na tabela

Estadão Conteúdo

07 Junho 2018 | 07h54

Um dia após ser derrotada pelos Estados Unidos, a seleção brasileira feminina de vôlei voltou a jogar mal nesta quinta-feira, pela Liga das Nações. Mas, desta vez, a equipe liderada pelo técnico José Roberto Guimarães saiu de quadra com a vitória, sobre a Rússia, pelo placar de 3 sets a 2, com parciais de 15/25, 25/21, 25/20, 19/25 e 17/15.

+ Seleção masculina de vôlei desembarca na Rússia e treina em arena de hóquei

Com o triunfo, o Brasil recuperou a segunda colocação da tabela. A equipe soma agora 28 pontos, contra 31 dos EUA, que ainda jogarão nesta quinta. As brasileiras buscam terminar a fase de grupos, que terá ainda mais uma semana, entre as cinco primeiras posições para avançar à fase final - terá seis equipes, incluindo a anfitriã China.

Nesta quinta, Zé Roberto repetiu a escalação de quarta, com Roberta, Adenizia, Gabi, Amanda, Tandara, Ana Beatriz e a líbero Suelen. E, no primeiro set, as brasileiras mantiveram as oscilações exibidas contra as norte-americanas. Com certa facilidade, as russas abriram vantagem no placar e fechar a parcial com dez pontos de frente.

Depois de um primeiro set em que tudo certo para a Rússia, e o Brasil quase nada acertou, os papéis se inverteram na segunda parcial. As russas passaram a cometer erros em série. E as brasileiras abriram 7/0 no placar. As rivais, porém, esboçaram reação e encostaram com 11/10. Mas as brasileiras mantiveram o ritmo e fecharam o set.

O terceiro set foi o de nível mais baixo em termos técnicos. Erros para ambos os lados e vacilos gritantes deram o tom da parcial. Aos trancos e barrancos, a seleção brasileira abriu vantagem em 7/5. Chegou a fazer 13/06 e manteve a diferença para vencer o set e virar o jogo.

No embalo, as brasileiras iniciaram o quarto set com 3/0 e depois, 10/6. Mas as russas não se abateram e buscaram a reviravolta na parcial ao fazerem 18/16. Em seguida, aumentaram a vantagem para quatro pontos e fecharam o set, empatando de vez o duelo.

O tie-break foi equilibrado, apesar da rápida vantagem de 3/1 construída pelo Brasil. A Rússia emparelhou em seguida e o confronto teve 13/13 e 15/15 antes de as brasileiras abrirem vantagem num bloqueio para fechar o jogo no ponto seguinte.

Como vem acontecendo nesta Liga das Nações, que substituiu o Grand Prix, Tandara foi a maior pontuadora do Brasil e também do jogo, com 30 pontos. Ana Beatriz contribuiu com 17. Foi a mesma soma obtida pela melhor russa em quadra, Natalia Malykh.

Com o triunfo desta quinta, o Brasil encerrou sua participação nesta quarta semana da competição. As comandadas de Zé Roberto voltam à quadra no dia 12, terça-feira que vem, contra a Bélgica, na cidade italiana de Eboli. Tailândia e a anfitriã Itália serão as adversárias seguintes, na mesma semana.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.