Seleção feminina tem boa oportunidade de deslanchar no Grand Prix

Invicta na primeira semana do torneio, equipe encara adversários mais fracos em Porto Rico

O Estado de S. Paulo

09 de agosto de 2013 | 07h30

MAYAGUEZ - A seleção brasileira feminina de vôlei saiu invicta da primeira semana do Grand Prix, numa dura fase em que enfrentou potências como a Rússia e os EUA, em Campinas. A partir de hoje, às 18h, as bicampeãs olímpicas pegarão um grupo teoricamente bem mais fácil em Mayaguez, Porto Rico: República Dominicana, Bulgária e as donas da casa. Mas a ordem é não relaxar.

“É sempre um jogo complicado contra a República Dominicana, que requer muita paciência. Sabemos que vamos ter dificuldades. Elas têm um ataque muito pesado. Estamos vindo de uma fase dura e desgastante no Brasil. Temos de ter muito cuidado nesse primeiro jogo”, diz o técnico da seleção brasileira, José Roberto Guimarães.

Por ter cedido dois sets na vitória sobre a Rússia, o Brasil somou apenas dois pontos naquela partida. No total, soma oito, o que lhe garante apenas a quinta colocação.

No último encontro entre brasileiras e dominicanas, na semifinal do torneio de Montreux, o time de Zé Roberto venceu por 3 sets a 0.

Sheilla pede atenção sobre a estrela dominicana, Bethânia de la Cruz. A atacante, que joga na Coreia do Sul, é a recordista de pontos em uma só partida, com 54. “A Bethânia de La Cruz é uma grande jogadora, tem um ataque muito forte e merece atenção. Elas também têm algumas jovens atletas que estão crescendo.”

A forma de a seleção brasileira jogar é bem conhecida pelas dominicanas, que são treinadas por um técnico brasileiro, Marcos Kwiek.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleigrand prixrio 2016

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.