FIVB
FIVB

Seleção masculina de vôlei é exigida pela Argentina, mas vence na estreia da Liga das Nações

Sob o comando do assistente Carlos Schwanke, Brasil faz 3 sets a 0, parciais de 31/29, 26/24 e 25/16

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2021 | 18h28

Depois dos três primeiros jogos da seleção brasileira feminina, foi a vez do time nacional masculino entrar em quadra na cidade de Rimini, na Itália, para a estreia na Liga das Nações. Ainda sem poder contar com o técnico Renan Dal Zotto, que passou por um período de internação em decorrência da covid-19, a equipe venceu a Argentina nesta sexta-feira por 3 sets a 0, parciais de 31/29, 26/24 e 25/16.

O time nacional, ainda comandado interinamente pelo assistente Carlos Schwanke, teve dificuldade diante dos argentinos, que tiveram uma considerável evolução no vôlei nos últimos anos. No entanto, mesmo no primeiro e segundo sets, os mais complicados, o Brasil se impôs e triunfou em seu primeiro desafio no torneio.

A seleção brasileira foi surpreendida pela bom volume de jogo e um bloqueio muito forte da Argentina, teve mais dificuldade no ataque do que o esperado, mas se ajustou em meio à adversidade e reagiu, contando, principalmente, com o talento de seus principais jogadores nos momentos mais tensos e também quando a vitória já estava encaminhada.

Embalada por três vitórias nos amistosos contra a Venezuela, a seleção brasileira contou com ótima atuação do ponteiro Lucarelli, que deixou a quadra com 14 pontos, e foi o melhor no duelo individualmente, não sofrendo para virar as bolas. O levantador Bruninho, na organização da equipe e nas escolhas certas na hora de distribuir as jogadas, e o líbero Thales também chamaram a responsabilidade e foram bem na partida.

“A estreia sempre tem uma certa tensão. Nos dois primeiros sets a gente até jogou bem, mas desperdiçamos algumas oportunidades, algo que é natural em razão do entrosamento que ainda precisa ser ajustado. No terceiro set conseguimos produzir melhor e saímos com a vitória. Vencer no primeiro jogo foi muito importante para tirar aquele peso, e agora vamos descansar e nos preparar para enfrentar o time dos Estados Unidos”, afirmou Lucarelli.

Em recuperação da covid-19 em sua casa, o técnico Renan Dal Zotto não esteve à beira da quadra, mas falou com os atletas antes da partida por meio de uma chamada de vídeo. O treinador chegou a ser entubado, mas já recebeu alta e está na fase final de sua reabilitação.

"Foi um jogo difícil pelo peso da estreia e por ser um clássico sul-americano. Soubemos sair dos momentos difíceis quando eles estavam com set point e agora é pensar em crescer sempre. Estamos aqui para buscar a evolução necessária do time como um todo. A doação e a ajuda de todos foi algo essencial nesta primeira vitória", disse Schwanke.

Com o triunfo, o Brasil soma três pontos e lidera a competição junto de Alemanha, Estados Unidos, Japão, Polônia, França, Sérvia e Rússia, que também venceram por 3 a 0 ou 3 a 1.

Na sequência da Liga das Nações, a seleção enfrenta os Estados Unidos neste sábado, às 16h (de Brasília). Domingo, encerra esse primeiro bloco de jogos diante do Canadá, às 13h. Os três dias posteriores voltam a ser de competição feminina para depois, então, retomar o masculino de acordo com a tabela que a cada três dias conta um naipe em atividade na Itália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.