Divulgação/FIVB
Divulgação/FIVB

Seleção masculina de vôlei vence Tunísia e mantém folga na ponta da Copa do Mundo

Principais titulares foram poupados e o técnico Renan Dal Zotto testou outros jogadores do elenco durante a partida

Redação, Estadão Conteúdo

11 de outubro de 2019 | 10h31

A seleção brasileira masculina de vôlei continua sobrando na Copa do Mundo. Nesta sexta-feira, a equipe ganhou fácil da Tunísia, por 3 sets a 0, com parciais de 25/17, 25/14 e 25/13, em Hiroshima, no Japão, chegando aos oito triunfos em oito jogos disputados.

Nas cinco primeiras rodadas, em Nagano, o time dirigido por Renan Dal Zotto derrotou Canadá, Austrália, Egito, Rússia e Irã. E em Hiroshima já havia passado por Argentina e os Estados Unidos. A campanha deixa o Brasil na liderança da Copa do Mundo com 24 pontos e três de vantagem para a Polônia, o seu próximo adversário, domingo, às 3 horas (de Brasília). Depois, encerrará a sua participação nos confrontos com Japão e Itália, na segunda e terça-feira.

"Treino e descanso para nos preparar. Nosso time está focado para entrar e poder fazer o melhor, que é jogar bem e fazer um grande resultado aqui dentro", afirmou o central Isac, já pensando nos próximos compromissos do Brasil na Copa do Mundo.

Na partida contra a Tunísia, Isac foi o maior pontuador da seleção com 13 pontos. E o técnico Renan Dal Zotto aproveitou o confronto contra um adversário que ainda não venceu na Copa do Mundo para poupar os principais titulares, escalando o Brasil com Fernando Cachopa, Alan, Flávio, Isac, Douglas e Maurício Borges, além do líbero Thales. E ainda promoveu a entrada de Felipe Roque durante o duelo.

"Mais uma vitória importante. Hoje escolhemos começar com um sexteto diferente, já que estamos em uma sequência de jogos muito intensa e alguns jogadores já estavam sentindo um certo cansaço. A opção foi muito boa porque quem estava fora veio com muita vontade de jogar, determinação e os garotos estão de parabéns. Sabemos que qualquer um desses poderia estar jogando também como titulares", afirmou Renan.

Como Bruninho foi poupado, Maurício Borges assumiu a função de capitão no duelo com a Tunísia. E acredita que a seleção conseguiu atuar em alto nível mesmo não contando com a sua força máxima.

"Nós conseguimos manter um ritmo de jogo muito forte, apesar de termos jogado com um time mesclado. Mantivemos um padrão muito forte no saque, bloqueio, defesa, recepção, e isso foi o diferencial para a nossa equipe hoje", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.