Seleção prevê dificuldade na estreia do Mundial de Vôlei

Seleção prevê dificuldade na estreia do Mundial de Vôlei

Brasil enfrenta a Bulgária na estreia do Mundial. Técnico garante que jogadoras estudaram e treinaram para enfrentar a rival na Itália

Estadão Conteúdo

22 Setembro 2014 | 15h13

A seleção brasileira feminina de vôlei está pronta para a estreia no Mundial da Itália, nesta terça-feira, diante da Bulgária, em Trieste. A comissão técnica e as jogadoras estudaram bastante as adversárias, que mesmo sem muita tradição podem complicar a vida do Brasil nesta primeira rodada do Grupo B por conta de seu estilo de jogo, como salientou o técnico José Roberto Guimarães.

"A estreia contra a Bulgária é um jogo muito perigoso em função da característica do time búlgaro. Nós sempre tivemos dificuldades em enfrentar equipes que jogam com bolas altas. No entanto, estudamos e treinamos para jogar contra elas. Temos que ajustar nosso sistema defensivo e tentar parar as ponteiras da equipe búlgara, tanto a Vasileva quanto a Rabadzhieva. Além disso, é um time com bastante experiência internacional, mas estamos otimistas. Nos preparamos bem e estamos concentrados", comentou.

A análise foi compartilhada pelas jogadoras. A ponteira Jaqueline, por exemplo, também avaliou o estilo de jogo das adversárias e, como Zé Roberto, pediu bastante atenção com a ponteira Vasileva, velha conhecida das brasileiras, já que atuou no País entre 2012 e 2013 com a camisa do Campinas.

"Nós trabalhamos muito forte para esse Mundial. O grupo está confiante e sabemos que agora é o nosso momento. A Bulgária é uma equipe difícil, mas estudamos bastante a equipe delas. Temos que fazer o nosso jogo. Já enfrentei a Vasileva e ela é uma grande jogadora com muita força de ataque. No entanto, o time delas como um todo também tem qualidades. É uma equipe alta com forte poderio de ataque", disse ela.

A levantadora Dani Lins foi além e lembrou que no último confronto entre as equipes as búlgaras levaram a melhor. "No ano passado elas nos venceram na primeira fase do Grand Prix por 3 sets a 1, e sabemos das qualidades do grupo búlgaro. No entanto, nos preparamos bem e o clima na nossa equipe está muito bom. Agora, temos que seguir nossa preparação para fazer uma boa estreia contra a Bulgária."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.