Sem a WNBA, Helen quer vaga na final

Após a confirmação de que não jogará a próxima temporada da WNBA, a armadora Helen, do Paraná Clube, entra em quadra nesta quarta-feira, às 20h30, no Ginásio Ney Braga, em São José dos Pinhais, com um olho na vaga para a decisão do Campeonato Nacional de Basquete e outro no mercado brasileiro. O Paraná só precisa de mais uma vitória sobre o Santo André para fechar a série melhor-de-cinco jogos da semifinal em 3 a 0. Na outra semifinal, Vasco e Ourinhos/Unimed jogam às 20h30 (SporTV), no ginásio do Municipal, no Rio. A série está empatada por 1 a 1.Helen não foi escolhida por nenhuma equipe no draft da WNBA, ao contrário da pivô Kelly, que conseguiu vaga no Detroit Shocks. A pivô Cíntia (Orlando Miracle), a armadora Claudinha (Detroit) e a lateral Janeth (Houston Comets) são as outras brasileiras que jogarão a temporada da WNBA, a partir do dia 10 e até agosto, desfalcando a seleção brasileira no Sul-Americano, de 9 a 17 de junho, em Lima, no Peru. "Agora é tocar minha vida por aqui. Prefiro pensar que não era para eu ir mesmo", disse Helen, que teme pela crise no mercado.O Vasco não paga salários, o Santo André e o Paraná não têm patrocínio e o Ourinhos, que conquistou o título paulista com apenas oito atletas, tem um orçamento modesto, bancado pela prefeitura e pela Unimed. A armadora também está preocupada com a vaga para a decisão do Nacional. "Ter vantagem de 2 a 0 é perigoso numa série como a nossa", disse. "Ganhamos os outros jogos porque respeitamos o Santo André e temos de continuar assim."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.