Renato Araújo/Divulgação
Renato Araújo/Divulgação

Semifinais da Superliga terão, pela primeira vez, o uso do 'tira-teima'

Tecnologia desenvolvida pela Penalty também será usada nas finais

, O Estado de S. Paulo

19 Março 2015 | 09h00

As semifinais da Superliga - que começam nesta sexta-feira, com o jogo entre Sada Cruzeiro e Minas Tênis - terão um reforço da tecnologia. A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) decidiu utilizar, nas fases decisivas do torneio, o 'tira-teima', por meio de um sistema desenvolvido pela brasileira Penalty.

O sistema D-Tech demorou oito anos para ser desenvolvido, ao custo de US$ 5 milhões (R$ 16,1 milhões). Foi exibido pela primeira vez em agosto de 2014, durante uma partida do Campeonato Paulista Masculino. E, aprovado pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB), foi usado pela primeira vez durante uma competição no início desta temporada, na disputa da Copa Brasil. 

Até agora, os tira-teimas usados no vôlei dependem da análise de imagens - assim, a mesa de arbitragem deve parar o jogo e olhar os frames de um vídeo pelo monitor. O diferencial do sistema brasileiro é que o vídeo não é utilizado. A bola da partida tem um chip e, por meio de cálculos matemáticos, considerando os limites da quadra, é possível saber se o ponto foi ou não válido. Ou seja: o sistema identifica a posição da bola, a informação é mandada para o árbitro via wi-fi, em um computador de mão, e não há a necessidade de a partida ser interrompida.

"Diferentemente dos softwares já utilizados na Polônia, Itália, Rússia e Japão, que são baseados apenas nas imagens, o sistema que testamos funciona também com cálculos matemáticos, se mostrando mais eficiente e assertivo", atestou Carlos Rios, presidente da Comissão Brasileira de Arbitragem de Vôlei. 

"É o único sistema no mundo que isenta a decisão do ser humano. Para chegarmos a essa conclusão, submetemos o sistema a um parecer técnico e que foi aprovado em órgão científico de renome internacional", atesta Emerson Shiromaru, gerente de inovação e tecnologia da Penalty.

EM QUADRA

As semifinais da Superliga Masculina terão confrontos regionais, com um duelo mineiro e outro paulista. Nesta sexta-feira, o campeão Sada Cruzeiro começa a brigar por uma vaga na quinta decisão consecutiva do torneio nacional contra o Minas Tênis, em Contagem, a partir das 19 horas. 

No sábado, a outra série melhor de três jogos começa no Vale do Paraíba. O Funvic Taubaté, que pela primeira vez chega a uma semifinal, duela com o Sesi, atual vice-nacional, às 21h30.

Também neste fim de semana começam os jogos das quartas de final da Superliga Feminina. Na sexta, o melhor time da fase de classificação, o Rexona-Ades, vai ao ABC paulista para enfrentar o São Cristóvão/São Caetano, às 21h30. No sábado, serão dois jogos: Dentil Praia Clube contra o Camponesa/Minas, às 13h, e Molico/Osasco e Pinheiros, às 15h30. No domingo, a primeira rodada termina com Sesi e Brasília, às 12h30, na capital paulista.

Mais conteúdo sobre:
vôlei Superliga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.