Facebook/Sesc-RJ
Facebook/Sesc-RJ

Sesc-RJ perde na final e time argentino é campeão da 1ª Libertadores de vôlei

Equipe brasileira fica com o vice-campeonato após derrota para o Bolívar em Taubaté (SP), por 3 sets a 0

Redação, Estadão Conteúdo

13 de fevereiro de 2019 | 22h50

A primeira edição da Copa Libertadores de Vôlei foi conquistada pelos argentinos, na noite desta quarta-feira, no Ginásio Abaeté, em Taubaté (SP). Representante do Brasil na final, o Sesc-RJ foi batido pelo Bolívar, da Argentina, por 3 sets a 0, com parciais de 25/23, 25/18 e 29/27.

Comandado pelo técnico argentino Carlos Javier Weber, medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Seul-1988, o Bolívar é o atual líder do campeonato argentino e dominou com facilidade a final. Os destaques da equipe e da partida foram dois cubanos: o levantador Rydel Hierrezuelo e o oposto Yadrian Escobar, que já defendeu o Minas Tênis Clube.

O Sesc-RJ é comandado pelo campeão olímpico Giovane Gávio, que lamentou a derrota e reconheceu a boa atuação do rival argentino. "Cometemos alguns erros em momentos cruciais do jogo. Isso nos atrapalhou muito. Queríamos a vitória, entramos bastante concentrados, mas temos que dar os méritos ao Bolívar, que fez uma grande partida e mereceu a vitória", afirmou o treinador.

Mais cedo, na disputa do terceiro lugar, Sesi-SP levou a melhor sobre o Taubaté por 3 sets a 2, com parciais de 26/28, 19/25, 25/18, 25/22 e 1510.

A Copa Libertadores, apesar do nome, reuniu em sua primeira edição apenas equipes do Brasil e da Argentina, numa aproximação recente entre os dois países através da Associação de Clubes da Liga Argentina de Voleibol (ACLAV) e da Associação de Clubes de Voleibol (ACV).

Foram apenas oito times na disputa, que teve início no fim de setembro do ano passado e terminou apenas nesta quarta.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
vôlei

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.