Victor Schwaner/Divulgação
Victor Schwaner/Divulgação

Sesi derrota Cruzeiro em Belo Horizonte e conquista título da Superliga

Equipe do técnico Giovane ganha por 3 sets a 1, com parciais de 25/19, 19/25, 27/25 e 25/17

AE, Agência Estado

24 de abril de 2011 | 12h29

BELO HORIZONTE - O Sesi é o novo campeão da Superliga Masculina de Vôlei. Para conquistar o título inédito, o time paulista superou a pressão da torcida adversária, que lotou o Ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte, e derrotou o Cruzeiro na final disputada em jogo único neste domingo. O placar da emocionante decisão foi 3 sets a 1, com parciais de 25/19, 19/25, 27/25 e 25/17.

Depois de terminar a fase de classificação na primeira colocação, o Sesi confirmou o favoritismo nos playoffs e, na sequência, conseguiu vencer a decisão contra o Cruzeiro. Assim, acabou com a hegemonia da Cimed (SC), que tinha sido campeã das últimas três edições da Superliga, e voltou a conquistar um título para São Paulo, o que não acontecia desde 2005, com o Banespa.

Bicampeão olímpico como jogador, Giovane conquistou neste domingo o seu primeiro título da Superliga como treinador. Para isso, ele contou com um grupo cheio de atletas da seleção brasileira, como os ponteiros Murilo e Thiago Alves, o líbero Serginho, o central Sidão e o levantador Sandro. Assim, o time do Sesi teve experiência para suportar a pressão da torcida.

Com um time sem grandes estrelas, mas com um conjunto muito forte, o Cruzeiro superou os favoritos Pinheiros e Vôlei Futuro nos playoffs da Superliga. E ainda deu sorte, porque a decisão estava previamente marcada para Belo Horizonte. Assim, contou com o apoio da sua torcida - foram 17 mil pessoas no ginásio. Mas perdeu para o Sesi na final e ficou sem o título inédito.

"A equipe está de parabéns, a comissão técnica está de parabéns. E o projeto Sesi é vencedor", comemorou Murilo, que foi eleito o melhor jogador do mundo no ano passado. "Esse grupo merece. A gente provou que, apesar de todos esses jogadores de seleção, o Sesi é uma equipe", disse Thiago Alves, que somou seu quarto título seguido da Superliga - era da Cimed nos últimos anos.

"É uma experiência maravilhosa. Fico muito honrado de comandar uma equipe maravilhosa como essa. Tem muita gente para agradecer", afirmou Giovane, um supercampeão do vôlei mundial, que estava muito emocionado com a conquista do seu primeiro título como treinador. Assim, acabou mais uma edição da Superliga Masculina de Vôlei, com a inédita vitória do Sesi.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperliga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.