Sesi monta equipe de vôlei com base na extinta Unisul

Técnico Giovane Gávio comemora parceria e espera um bom resultado na próxima Superliga Masculina

AMANDA ROMANELLI, Agencia Estado

13 de maio de 2009 | 20h18

Assim como aconteceu com o time feminino de Osasco, a equipe Unisul também foi salva - pelo menos no que diz respeito à sua comissão técnica. O Sesi (Serviço Social da Indústria) de São Paulo anunciou nesta quarta-feira a criação de um time masculino de vôlei. E o técnico será o ex-jogador Giovane Gávio, que trabalhou no extinto Joinville por quatro anos.

Desde que a Unisul anunciou, na última terça-feira, que desistia do vôlei profissional após dez anos, Giovane começou a procurar um novo lugar para o time, da mesma maneira que o técnico Luizomar de Moura fez com o Osasco quando a Finasa afirmou que sairia da modalidade. E o Sesi faz parte das duas histórias.

"Sabia que já havia uma predisposição deles em apoiar o vôlei por causa da história do Osasco. Recebi uma dica para procurá-los", explicou Giovane. Segundo Paulo Skaf, presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), a ideia de investir no vôlei de alto rendimento surgiu com a dissolução do Osasco. Como empresários locais solucionaram o problema do time, a ex-Unisul foi uma oportunidade inesperada.

Giovane terá em São Paulo quase toda sua antiga comissão técnica. Com um orçamento maior do que o do time de Santa Catarina (estimado em R$ 2 milhões por ano), ele afirma que terá um grupo forte para a Superliga e que espera repatriar jogadores. Por ora, garantiu apenas a permanência do oposto Anderson.

A nova equipe, que se chamará apenas Sesi, será oficialmente apresentada na próxima segunda-feira. Treinará na unidade da Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo, e mandará seus jogos em ginásios da capital paulista.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSesiUnisul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.