CBV/Divulgação
CBV/Divulgação

Seleção feminina de vôlei terá força máxima no Sul-Americano

Sheila e Fabiana voltam ao time de Zé Roberto Guimarães

Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2015 | 11h13

Sem poder jogar a Copa do Mundo porque tem convite como país-sede da Olimpíada, a seleção brasileira feminina de vôlei vai ter que se contentar em fazer um "treino de luxo" contra adversárias muito mais fracas no Campeonato Sul-Americano. Mesmo assim, terá força máxima. Poupadas no Grand Prix e nos Jogos Pan-Americanos, Fabiana e Sheilla estão de volta ao grupo.

"Tínhamos combinado com o Zé Roberto, antes da temporada de seleções, que teríamos um tempo maior para recuperação, depois de muitos anos sem férias na seleção. No entanto, esse período não foi somente de descanso. Eu e a Fabiana nos preparamos fisicamente para nos apresentarmos na seleção. Agora, estamos treinando para chegarmos bem no Sul-Americano. Estava com saudade das meninas, da comissão e de jogar com a camisa do Brasil. Por isso, é muito bom estar de volta", disse Sheilla.

O elenco está novamente reunido no CT do Vôlei, em Saquarema (RJ), com 18 atletas. São desfalques a central Thaísa, que passou por cirurgia, a oposto Tandara, que está grávida, e a levantadora Fabíola, que pediu dispensa já antes do Grand Prix.

Macris ganhou a disputa com Ana Tiemi e será a reserva de Dani Lins, enquanto Leia ganhou a concorrência com a Sassá para a segunda vaga de líbero. Nas outras posições, Zé Roberto ainda precisará fazer cortes.

Estão treinando no em Saquadrema as levantadoras Dani Lins e Macris, as opostos Sheilla, Joycinha e Monique, as centrais Fabiana, Juciely, Carol, Adenízia e Bárbara, as ponteiras Jaqueline, Fernanda Garay, Natália, Gabi, Mari Paraíba e Suelle e as líberos Camila Brait e Léia.

"Estamos em contagem regressiva para os Jogos Olímpicos e focados na nossa preparação. A Sheilla e a Fabiana são jogadoras que estão há muitos anos na seleção brasileira e participaram de 95% dos campeonatos disputados. Era o momento de dar um respiro para elas. As duas ficaram esse período só se preocupando com a preparação física. Elas são jogadoras sempre cobradas por boas performances e precisavam desse descanso. Foi um momento positivo também porque demos chances a outras atletas mostrarem o que podem fazer na seleção", comenta o técnico José Roberto Guimarães.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.