Orlando Bento/Minas Tênis Clube
Orlando Bento/Minas Tênis Clube

'Somos o melhor time do País', afirma Carol Gattaz sobre o Minas antes da final da Superliga

Central e capitã da equipe de Belo Horizonte valoriza as conquistas dos últimos anos; equipe decide o título contra o Praia Clube

Paulo Chacon, especial para o Estadão

22 de abril de 2022 | 10h00

Atual bicampeão nacional e único time que chegou em todas as finais da atual temporada do vôlei. Esse é o Minas que começa nesta sexta-feira, às 21h, a disputa da final da Superliga Feminina, o Campeonato Brasileiro da modalidade, contra o Praia Clube, de Uberlândia. Capitã e referência da equipe, Carol Gattaz não economiza nas palavras ao falar da equipe.

"Nós somos o melhor time do País hoje. Por tudo que fizemos nas últimas temporadas, tudo que conquistamos e pelo que mostramos na atual. Apesar de não ter conquistado nenhum título, nós chegamos em todas as finais no continente. Vamos em busca da conquista da Superliga, que seria a primeira da atual temporada e o tricampeonato consecutivo da nossa equipe", afirmou.

Ao ver a caminhada do Minas nas competições de 2021/2022 é possível ter dois olhares. A análise mais otimista vai ver que a equipe de Belo Horizonte chegou nas decisões do Campeonato Mineiro, Sul-Americano, Copa Brasil, Supercopa e está na final da Superliga. Já o mais pessimista vai ver que, mesmo chegando em cinco decisões de seis competições que o Minas disputou, o time mineiro segue em busca do seu primeiro título. 

"Não tem como não falar que falta um título na temporada, mas não é apenas por isso que a temporada é ruim. Eu vejo como uma temporada irregular, mas boa do Minas. Decidir quase todos os campeonatos do ano e falar que isso não é bom é errado, ao meu ver. Sofremos com lesão em diversos momentos e tivemos outros problemas durante a temporada, principalmente no início. Nos playoffs da Superliga o time esteve quase completo pela primeira vez, o que é muito bom. Agora é seguir para a final", discursou Gattaz.

O técnico Nicola Negro reconhece que, apesar da excelente temporada, é necessário fechá-la com o título da Superliga. "Foi a temporada mais desafiante de todas as três que eu estou aqui. Tivemos vários momentos complicados na temporada com a equipe e esses momentos coincidiram com fases de jogos importantes. O trabalho continua sendo feito da melhor forma, as atletas correspondem com tudo, mas falta o troféu e sabemos disso. Estamos em busca do título da Superliga feminina e iremos atrás disso."

A decisão da Superliga feminina, assim como aconteceu nas quartas de final e na semifinal, será disputada em uma série melhor de três. A disputa pelo título começa nesta sexta-feira. Todas as partidas da decisão serão disputadas no ginásio Nilson Nelson, em Brasília, por causa da organização dos jogos ser de responsabilidade da Confederação Brasileira de Vôlei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.