Superação compensou falta de ritmo, diz Bernardinho

O técnico Bernardinho disse que já esperava uma partida difícil contra Cuba, na estréia do Brasil no Mundial Masculino de Vôlei, e ficou satisfeito porque, para ele, os jogadores se superaram para compensar a falta de ritmo de jogo. "Mas não podemos demorar muito para entrar no ritmo", disse Bernardinho.O técnico admitiu estar preocupado com o regulamento do Mundial - semelhante ao do torneio feminino, no qual os resultados da primeira fase são transportados para a segunda etapa, e apenas duas seleções de cada chave vão às semifinais. "Começamos com saldo de 15 pontos a nosso favor, o que é fundamental?, afirmou.Tecnicamente, Bernardinho ainda prevê a evolução do time em pelo menos três itens: saque, bloqueio e defesa. "Precisamos disso para poder encaixar contra-ataques e vencer os jogos", explicou.O oposto André Nascimento, maior pontuador do jogo, com 24 pontos, elogiou a boa defesa da seleção cubana. "Fez a diferença no set que eles ganharam. Foi um jogo nervoso, e é muito importante estrear com vitória?, afirmou. Giba admitiu que, mesmo com toda a sua experiência, não foi fácil manter a tranqüilidade. "É difícil ficar calmo num jogo como esse, contra um time forte e com ótimos jogadores jovens", elogiou.O técnico de Cuba, Roberto Garcia, disse que já sabia da dificuldade de vencer os atuais campeões do mundo, e lamentou as falhas do time na recepção. "Jogamos bem, mas cometemos alguns erros graves nesse fundamento", disse. "Demos o máximo, mas o Brasil é o time mais forte do grupo", lamentou o capitão cubano Allen Pimienta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.