Superliga: Telemig joga pelo recorde

Quem vai derrotar o Telemig/Minas? Todo mundo pergunta quem será o carrasco do time do técnico Carlos Alberto Castanheira, o Cebola, que continua imbatível na Superliga, invicto em 21 jogos, a última conquista em cima do Zip.Net/Fenabb/Suzano por 3 a 1. E se vencer nesta quinta-feira, o Palmeiras, às 20 horas, no ginásio João do Pulo, em Guarulhos, iguala o recorde de 22 vitórias do Olympikus, obtido na temporada 1998/1999. "Ninguém vai nos parar", declarou o empolgado Ezinho, líder no ranking da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) na recepção (65,88%) e segundo melhor no ataque (40,28%).O Minas, que já assegurou o título simbólico da fase de classificação, terá ainda duas partidas contra a Uneb e o Vasco/Três Corações. O Palmeiras, nono colocado com 7 vitórias e 12 derrotas, não deve se classificar para as quartas-de-final. Depois do Minas, enfrenta Banespa e Ulbra."Contra o time Três Corações (o Vasco é vice-líder, com 14 vitórias e 7 derrotas) vai ser um pouco mais difícil por causa da rivalidade mineira, mas não queremos perder para ninguém", observou Ezinho que, por causa do sucesso repentino, já sonha com uma convocação para a seleção brasileira. "Sou baixinho, mas o Papi que tem a mesma altura (1m90) joga na seleção italiana. Minha hora está chegando. Espero que o treinador ache bom ter um baixinho ágil no grupo."O levantador Maurício não está preocupado com recorde ou invencibilidade. "Mas se tivermos que perder que seja logo, não nas finais, como o Olympikus", comparou o melhor levantador da temporada (57,94% de eficiência). A extinta equipe carioca perdeu o título para a Ulbra, depois de bater o recorde de invencibilidade.Macaco - Maurício virou "marqueteiro" do garoto André, de 18 anos, dono da melhor performance no ataque (48,32%) e quarto colocado entre os pontuadores (324 pontos). Não perde a oportunidade de fazer propaganda sobre a revelação da temporada."Você viu como ele está bem?", pergunta. "O segredo é a envergadura dos braços. Olha só como parece um macaco." Envergonhado, André mostrou a razão do apelido. Com os longos braços esticados, os dedos quase tocam o joelho. "Maurício facilita a vida dos atacantes", retribui André.O técnico Cebola alerta sobre os problemas que podem ser causados pelo excesso de confiança. "O time pode perder quando a qualidade do jogo cair, quando não entrarmos em quadra com a preocupação de fazer o melhor", avaliou.Os outros jogos da rodada: às 19h30, Santo André x Ulbra; às 20 horas, Suzano x Vasco, São José x Barão e Unisul x Banespa; às 20h30, Lupo x Bento Gonçalves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.