Suzano tenta sobreviver sem dinheiro

Depois de perder o principal parceiro, a Zip.Net, só contar com mais três meses de contrato com o co-patrocinador, a Fenabb, e ter o nome do técnico Ricardo Navajas envolvido em acusações de suborno não comprovadas, o vôlei de Suzano vai sobreviver. "Claro que será uma equipe fraca", reconhece Navajas. "Mas alta", emenda o treinador, que chegou a pensar em largar o vôlei e tentar a sorte no futebol. "Vou ter de fazer esses caras jogarem." A folha de pagamento do Suzano está sendo diminuída drasticamente e o treinador já dispensou o atacante Dante, da seleção brasileira. "Vamos fazer o milagre da multiplicação", brinca Navajas, que até agosto receberá cerca de R$ 300 mil da Fenabb, "que têm de durar, no mínimo, seis meses". Um fôlego, segundo ele, para que o prefeito de Suzano, Estevam Galvão (PFL), consiga achar patrocinador. A Fenabb não vai renovar o contrato. "O vôlei em Suzano só sobrevive por pura paixão." Navajas acertou com atletas desconhecidos, que atuaram em times modestos ou já extintos, como o Vasco. O levantador William (1,84 m) e o ponteiro Cléber (2,00 m) são ex-Vasco. O líbero Paulinho (1,87 m) atuou na última temporada no Lupo Náutico/Araraquara. O levantador Cristiano (1,98), o meio-de-rede Acácio (2,07 m) e o ponteiro Dante (2,03 m) vieram de Bento Gonçalves. O central Celso (1,99 m) é ex-Bunge Barão. Completam a lista o ponta juvenil Evandro (2,06 m), ex-Banespa, e o oposto Ricardo de Paula (1,91 m), que renovou com Suzano. No dia 11, começam os treinos para os Jogos Regionais. A cidade será sede do evento, em julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.