Tática de Bernardinho: filmes e livros

Um resfriado - ainda hoje teve febre de 39° - atrasou o plano do técnico Bernardinho de pôr em prática ainda esta semana algumas novidades no trabalho com a seleção brasileira masculina de vôlei, como exibição de filmes e leitura de textos, atividades que "ajudam a mexer com a cabeça" dos jogadores. "Por causa do resfriado, tive de adiar os planos para depois do torneio classificatório. O jogo com a Venezuela passou a ser a prioridade", explicou o treinador.Bernardinho quer levar para o time masculino as estratégias de estímulo que usava, com sucesso, na seleção feminina. Mas terá de fazer isso no restante da temporada. Esta semana, ele centralizou a preparação do grupo para o Torneio Classificatório para o Mundial de 2002, em que o Brasil terá apenas dois jogos. O primeiro será sexta-feira, às 17 horas, contra o Chile, e o segundo, sábado, às 9 horas, contra a Venezuela. As partidas serão no ginásio do complexo esportivo Lauro Gomes, em São Caetano do Sul.Embora o Brasil seja favorito absoluto para ficar com a vaga, Bernardinho não pensa assim. E pega no batente, na quadra e fora dela. "Se der tempo, ainda vamos passar o filme Por Amor ao Jogo, com Kevin Costner, sobre beisebol". A idéia, segundo o técnico, é enriquecer a tomada de decisões, a atitude dos jogadores diante das várias situações da vida, em quadra e fora dela, a partir da análise da vivência e da experiência de outras pessoas, relatadas em filmes e livros.Por enquanto, o grupo teve de assistir a um vídeo da Venezuela, que venceu duas vezes a Grécia e uma a Polônia, na Liga Mundial, e vem ao Brasil, segundo Bernardinho, "como franco-atirador". Do Chile, que possui um time formado por jovens universitários, nem vídeo o técnico brasileiro tem. Vai avaliar o adversário após o jogo desta quinta-feira, às 17 horas, com os venezuelanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.