Técnico nega favoritismo após nova vitória do Brasil

A seleção brasileira feminina de vôlei manteve a sua invencibilidade e conseguiu a sua segunda vitória na fase final do Grand Prix ao derrota a China por 3 sets a 0 (25/21, 25/20 e 31/29), mas ainda descarta o favoritismo no torneio. Para o técnico José Roberto Guimarães, a boa campanha não significa que o time deve ficar com o título.

AE, Agencia Estado

20 de agosto de 2009 | 11h09

"Não gosto de falar em favoritismo porque ninguém o que pode acontecer em cada jogo. Todas as seis seleções que estão aqui têm chances", afirmou o treinador, que considerou o jogo contra a China difícil, mesmo tendo durado apenas 1 hora e 25 minutos.

"Nunca é fácil jogar contra a China. No terceiro set elas passaram à nossa frente, mas conseguimos reagir e fechar a partida jogando bem. Gostei do comportamento do grupo, concentrado todo o tempo", analisou.

Para Natália, maior pontuadora do jogo com 19 pontos, a vitória em três sets foi importante por não ter desgastado as jogadoras para a sequência da fase final da competição. "Vencer por 3 a 0 é bom porque temos mais tempo de descanso para enfrentar nossos próximos adversários", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.