Thiago Alves festeja atuação e quer 'presente' na final

Ponta da seleção brasileira masculina de vôlei entrou bem e foi decisivo para a vitória sobre Cuba na Sérvia

Agencia Estado

23 de julho de 2009 | 16h51

Um dos destaques da seleção brasileira na vitória por 3 sets a 1 sobre Cuba, nesta quinta-feira, o ponta Thiago Alves não escondeu sua alegria após a partida, disputada em Belgrado, pela fase final da Liga Mundial. Autor de 10 pontos, sendo seis deles diretos de saque, o jogador do Cimed espera ter a chance de disputar a final da competição pela primeira vez no domingo, justamente o dia de seu 24.º aniversário.

Veja também:

linkLiga Mundial: Brasil estreia com vitória na fase final

"Não sei nem o que dizer deste momento. Para ser melhor que isso, só jogando mesmo a final. Mas é importante ressaltar que todos aqui nos sentimos importantes, sabemos que a qualquer momento podemos entrar em quadra para decidir uma partida", explicou o atacante, um dos nomes da nova geração do Brasil, que entrou no terceiro set no lugar do capitão Giba.

Em cada um dos sets, conseguiu uma sequência de três pontos de saque, ambas decisivas para garantir a vitória brasileira. "Saque é treino, não tem jeito. Confiança ajuda muito também e eu tive as duas coisas. Hoje o saque entrou", afirmou o atacante.

Maior pontuador do confronto ao lado de Leandro Vissotto, com 17 pontos, o ponta Murilo apontou dois fatores para o Brasil ter saído com a vitória. "Não podíamos deixar os cubanos jogarem com o passe na mão, então colocamos bem o nosso saque, e isso ajudou bastante o bloqueio", afirmou o jogador, citando os 12 pontos de saque e 17 de bloqueio conquistados durante a partida.

Um dos mais experientes do time, o líbero Sergio Escadinha comemorou o fato de o time conseguir conter a ansiedade numa estreia de fase final, depois de uma longa e cansativa viagem. "No começo estávamos nervosos, mas sabíamos que a paciência seria nossa aliada. Fomos pacientes nos momentos certos e vencemos", justificou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.