Time incorpora "espírito Bernardinho"

Economista, coordenador do Centro de Excelência Rexona de Curitiba e treinador da Seleção Brasileira Masculina de vôlei. Bernardo Rezende é quase um filósofo, para alguns, chega a ser um gênio. Ontem, em Belo Horizonte, perdeu o bicampeonato da Liga Mundial, que seria o sétimo título em oito disputados desde que assumiu, no começo de 2001. De qualquer maneira, já alertou: ?O time não pode perder a auto-estima. A derrota traz à tona os pontos que precisamos trabalhar mais.? Leia mais no Jornal da Tarde

Agencia Estado,

19 Agosto 2002 | 09h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.