Torcida mineira levou rival à vitória

O recorde de público na Superliga, 23.535 torcedores, na noite de sábado, no ginásio Mineirinho, em Belo Horizonte, foi determinante para a vitória da Ulbra, em cima do time da casa, Telemig/Minas, e para a quebra de outro recorde. "Aquele espetáculo da torcida fez com que o meu time jogasse descompromissado com o resultado. Tiveram mais coragem de arriscar e o nosso saque matou o Minas", disse o técnico gaúcho, Jorginho Schmidt. Em função do saque forçado e taticamente bem colocado, a Ulbra bateu o recorde de pontos de bloqueio marcados em um mesmo jogo: 21 pontos. "O vôlei moderno é saque e bloqueio." Na partida, a Ulbra fez 3 a 1 (25/22, 25/22, 32/34 e 25/23) e adiou a decisão do título para o quarto confronto do playoff, no ginásio Tesourinha, em Porto Alegre. A dupla de Andersons da Ulbra, o Rodrigues e o Menezes, marcaram juntos 45 pontos, sendo o primeiro o maior pontuador, com 24 pontos. Jorginho observa que desde as quartas-de-final, contra o Suzano, sua equipe tem apresentado maior aproveitamento do saque, fundamento que lidera nas estatísticas da competição. Explica que no vôlei masculino de alto nível, a média de pontos obtidos por uma equipe em função do saque é em média de 10 a 15. "Superamos esta média em partidas contra o Suzano, a Unisul (semifinais) e o Minas." Acredita que quando não chega nesta média fica difícil ganhar. "Foi assim no primeiro jogo com o Minas, em que nosso bloqueio marcou apenas 2 pontos contra 10." A estatística do fundamento no segundo confronto também não foi das melhores: 9 contra 12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.