Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Alexandre Arruda/Divulgação
Alexandre Arruda/Divulgação

Unilever bate Pinheiros e é o único time invicto da Superliga feminina

Time do Rio ganha partida em casa por 3 sets a 2, com 25/20, 20/25, 27/25, 25/27 e 15/10

estadão.com.br

28 de janeiro de 2011 | 15h35

SÃO PAULO - Foram necessários cinco sets e muita emoção nesta quinta-feira no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, para apontar a última equipe invicta da Superliga feminina de vôlei. Após 2h24, melhor para a Unilever (RJ), que derrotou o Pinheiros/Mackenzie (SP) por 3 sets a 2 (25/20, 20/25, 27/25, 25/27 e 15/10), quebrou a invencibilidade do rival e consolidou-se como única equipe que ainda não perdeu após a décima rodada do primeiro turno da competição.

Durante o jogo foram arrecadadas seis toneladas de água e alimentos, doados pelos 2.500 torcedores que foram ao Maracanãzinho. A Unilever dobrará o arrecadado na bilheteria do jogo e, assim, 18 toneladas de produtos serão entregues às vítimas das enchentes da região serrana do Rio. A doação será encaminhada através da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer.

A oposta Sheilla, que marcou 34 pontos, foi fundamental na vitória da equipe e terminou o jogo como maior pontuadora. No entanto, a ponteira Amanda, também do time carioca, foi eleita a melhor em quadra.

"Foi um jogo muito difícil. Fizemos alguns amistosos contra o Pinheiros antes da Superliga, mas os dois times ainda estavam desfalcados. Foi o nosso primeiro tie-break na Superliga e sei que erramos muito. Agora temos de parar, respirar, pensar no que fizemos de errado e se concentrar para o próximo jogo", comentou Amanda.

Com a vitória, a décima na edição 2010/11 da Superliga, a equipe do Rio soma agora 20 pontos e lidera a classificação com tranquilidade.

No próximo sábado, a Unilever tentará sustentar sua invencibilidade diante do Sollys/Osasco, em partida marcada para as 17 horas no ginásio do Maracanãzinho. O confronto é considerado o maior clássico do voleibol nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.