Arquivo/AE
Arquivo/AE

Unilever, ex-Rexona, mantém grupo para temporada 2009/2010

Time do Rio de Janeiro, atual campeão da Superliga feminina, tem seis atletas que integram a seleção brasileira

16 Junho 2009 | 13h58

Atual tetracampeão da Superliga feminina de vôlei, o Unilever (RJ), ex-Rexona/Ades, manterá no grupo as principais jogadoras para a temporada 2009/2010. Além disso, o técnico Bernardinho, também comandante da seleção masculina, seguirá na equipe carioca.

O time poderá seguir contando com as seis atletas que integram a seleção feminina de José Roberto Guimarães: a líbero Fabi, a meios-de-rede Fabiana e Carol Gattaz, a levantadora Dani Lins, a oposta Joycinha e a ponta Regiane.

As meio-de-rede Dani Oliveira, que estava no Pinheiros, de São Paulo, e Mara, vinda do Fluminense, são as novidades no elenco e substituem Luana e Fê Isis, que deixaram a equipe. O grupo também terá a levantadora Camila Adão, em sua terceira passagem pela equipe. As demais atletas que renovaram contrato são Érika, Michele, Monique, Amanda, Betina e Luiza.

Há cinco temporadas no time, a campeã olímpica Fabi, de 29 anos, se diz contente por seguir no clube. "Adoro jogar na minha cidade e estou muito feliz por integrar a equipe por mais um ano. É o time com o qual eu conquistei meu primeiro título. Se no início era um sonho, hoje tenho consciência de que estou escrevendo uma história junto com a Unilever," disse.

"É um dos times mais estáveis que conheço. No ano passado foi mais difícil porque perdemos três atletas, mas conseguimos nos entrosar e fizemos um bom trabalho. Todas as jogadoras se deram muito bem, e acho que isso pesou na hora de cada uma decidir renovar o contrato", apontou Fabi.

A outra medalhista de ouro do Unilever, Fabiana, ressaltou a importância da manutenção do grupo. "No momento, estou focada na seleção, mas fiquei muito feliz, mesmo, com a notícia. A maioria de nós está junta há muito tempo. E, com certeza, a convivência e o bom ambiente que temos lá vão ajudar o time nas próximas competições."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.