Unisul terá dois técnicos na Superliga

Pela primeira vez na história da Superliga, uma equipe terá dois técnicos. Além de estrear na função, o argentino Weber continuará dentro da quadra atuando como levantador. Marcos Pacheco, ex-auxiliar técnico da Ulbra nas três últimas temporadas, será o segundo treinador da Unisul, de Florianópolis. "Teremos uma equipe cúmplice em tudo", disse o gerente de esportes da equipe, Renan Dal Zotto, que, apesar de inovar no Brasil, copiou o modelo de comissão técnica utilizado pelo Alpitour Cuneo, quarto colocado no Campeonato Italiano. O time foi orientado pelo levantador Ferdinando De Giorgi.Renan explica que durante os jogos, a autonomia será de Pacheco. "Se o Weber não cumprir o que foi combinado será substituído", diz. "Mas, nos pedidos de tempo, os dois poderão dar orientações. O Weber já é um líder dentro de quadra e vai tirar de letra", complementa.O projeto de Weber, de 35 anos, é adaptar-se à nova função para que em 2002 possa dedicar-se apenas à carreira de treinador. Antes de assumir o desafio, Weber jogará a Liga Mundial pela seleção da Argentina. Ele embarca nesta terça-feira para Palermo, na Itália, onde jogará contra a seleção local na sexta-feira.Além da comissão técnica, a Unisul já renovou com o levantador Marlon, o meio-de-rede André Heller, o ponteiro João Paulo Bravo e contratou o atacante de ponta Bruno, ex-Lupo/Náutico. O ponta Leandro, de 2,10 metros, destaque juvenil da Unisul, que deverá ser convocado em breve para a seleção brasileira de Bernardinho, também continuará em Florianópolis.Outra novidade na temporada é uma equipe feminina comandada pela técnica Isabel, em Campos (RJ). Vice-campeã brasileira com o Vasco, a treinadora ainda não recebeu os quatro meses de salários atrasados. "Estamos em negociação", disse. Este deverá ser o único time carioca na competição. Vasco e Flamengo devem fechar as portas e o Macaé (assim como a Força Olímpica, de Brasília) não terá mais o patrocínio da Petrobrás. No masculino, o time de Araraquara também perdeu o apoio da Lupo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.